Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2009

vida

enquanto as meninas saem com os namorados, eu fico aki, escrevendo, vendo. Sexta, Sabado e Domingo à noite aki. Eu não vivo, assisto o viver alheio, ao menos é essa impressão que tenho no momento. O que já vivi só me fez mal, me fez me arrepender, voltar atrás. Valeu? Não...se pudesse, não faria tudo de novo, não mesmo. Eu sinceramente fico perdida em relação a como devo agir, principalmente em relação aos homens. Ser fácil? Ser difícil? Ser legal? Ser misteriosa? Ousada?Boazinha?Poderosa?Disponível?o que fazer, o que há de errado comigo, é a minha eterna questão...acho que to na crise balzaquiana sem ter chegado aos trinta. Mas só de pensar em chegar lá do jeito que to agora, dá medo. Estou mais tranquila, mais preocupada com coisas que realmente são importantes para mim, como Deus, vida acadêmica, educação, inglês. Não posso, não quero e não adianta me preocupar com vida afetiva...quando não tá um marasmo, tá tudo acontecendo rápido demais com gente demais. Não sei o que há de errad…

de volta...

bem bem, de volta à Viçosa, eu to diferente, acho. Eu tinha decidido a mudar mesmo, mas as coisas que tem me acontecido, muito impacto emocional, tem cooperado para o meu bem, isto é, de um jeito meio torto, mas pra me manter na linha...
ah, descobri que sou boazinha. Vi um lvro na rodoviária de sampa chamado "porque os homens amam as mulheres poderosas". Li o resumo do livro: ele, isto é, a autora divide as mulheres em boazinhas e poderosas. as boazinhas estão sempre disponiveis, desmarcam tudo por um cara que acabaram de conhecer, enfim, se mostram medrosas e inseguras - quanta semelhança.... - e as poderosas são donas de si, não desmarcam coisas só por causa de homem, estão disponíveis, mas não sempre, etc. Queria comprar o livro, estava R$19,90 lá, mas achei na internet por R$16,75 acho, de repente....
O R conversou comigo, ai me fez um monte de criticas indiretas, me deixou meio no chão. Aí o N outro dia, acho que ontem, diz no meio de uma conversa, com a maior naturalida…