terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Estranhamento Literário

tulipas.

Não há nada aqui
só minhas expectativas frustradas
a estética esperando minha recepção...
e você batendo na minha porta
pra não falar de nós

Claro que nã há nada
e se não há nada
há tudo
e você na minha frente sem me perguntar se estou bem...

Não há nada de mais
tudo é de menos
sol demais na minha cabeça
o leitor implícito
e você explicitamente na minha frente
sem me ver

Não viu meu cabelo,
meu vestido,
minha cara,
meu ar...

Nada de mais, demais
too much
um estranhamento quase literário
porque vc bateu à minha porta

É, não tem nada aqui
só eu...
"ela está?"
estou sim
mas não é pra falar de nós.

Bridge Over Troubled Water

When you're weary
Feeling small
When tears are in your eyes
I will dry them all

I'm on your side
When times get rough
And friends just can't be found
Like a bridge over troubled water
I will lay me down
Like a bridge over troubled water
I will lay me down

When you're down and out
When you're on the street
When evening falls so hard
I will comfort you

I'll take your part
When darkness comes
And pain is all around
Like a bridge over troubled water
I will lay me down
Like a bridge over troubled water
I will lay me down

Sail on Silver Girl,
Sail on by
Your time has come to shine
All your dreams are on their way

See how they shine
If you need a friend
I'm sailing right behind
Like a bridge over troubled water
I will ease your mind
Like a bridge over troubled water
I will ease your mind
(music by Simon and Garfunkel)

Amarelei...


Ultimamente tenho postado videos para me disfarçar, pra disfarçar a vida, sei lá. Foram três fatos os dos ultimos dias - desculpe a quem atinja, tenho q falar - que me abalaram emocionalmente, talvez um impacto até exagerado da minha parte - minha menstruação está totalmente regulada, por isso sei que estou sob influência de TPM também, o que muda drasticamente os sentimentos de uma mulher. 

Pois bem, eu não gosto de qualquer intromissão em minha vida pessoal, raramente peço conselhos e os dou. Mas ocorreu uma certa interferência com um ex, e aí foi o suficiente para que eu mergulhasse em mim mesma e novamente os sentimentos severamente controlados - ou ao menos eu tentava severamente controlá-los - viessem à tona. Raiva, muita raiva e revolta, lágrimas. Não digo que passou porque essas coisas sempre ficam na minha cabeça - me diga que eu pareço um travesti e eu fico uma semana sem sair de casa encucada.

A segunda coisa foi um ex me pedindo pra ajudar a namorada dele com um trabalho. Depois de muito relutar, aceitei, e fiquei pensando no ridículo da situação; ainda perguntei a ele se ela sabia quem eu era... pelo visto, sabe parcialmente... ou eu me acho muita coisa sem ter sido, na vida dele. 

E terceiramente, outro ex - sim, tenho uma coleção deles, mas, pay attention, ex-ficantes somente - que está ou estava rondando meus pensamentos, disse-me, da ultima vez que conversamos, que nao fazia distinção entre eu e suas amiguinhas; do modo de nos tratar. Desabei. Fiquei pensando, chega! Falta de respeito! Foi uma série de detalhes, de coisas que ele me dizia que, mesmo sem intenção (segundo ele), me mostravam descaso total para com meus sentimentos em relação á ele. Muitos sentimentos ainda, amor, eu disse a ele. Numa conversa online mesmo, eu despejei tudo, conversamos muito, e... ficamos bem! Na verdade verdadeira, eu queria que ele tomasse a decisão de cortar tudo logo, mas cabe a mim fazer isso. E quando ele disse que se eu achasse melhor poderiamos não mais conversar, amarelei: não, por favor!! mulheres...

Isso tudo me deu um mal estar generalizado, do tipo que dói a alma. Realmente nem sei por que tudo me afetou tanto, com tal grandeza, de tal maneira, que nem posso lembrar e mal consigo pensar claramente. Essa ultima situação me incomoda muito ainda, sobretudo porque eu gosto dele, e ele sabe. "E tem outra solução a não ser se conformar?" foi o que ele me disse. "pelo que vejo, não" eu respondi. É isso, então. Bye.