sexta-feira, 6 de junho de 2014

Cansaço

Gripe...


O amor exige sacrifícios. Tem momentos que exige respostas: ou vai em frente, ou volta pra trás, ou então que tome outro rumo. Não fazer bem é mal sinal... Impaciência e cobranças são mal sinais... A gente vive errado, precipita certas coisas, aí paga. Vai levando. Às vezes, (in)feliz. Às vezes o sorriso da pequena faz valer tudo, as vezes dá vontade de fugir com ela... sem ela... dá vontade mesmo, às vezes, com frequência, de sumir, simplesmente.

A idade chegou e pesou. Minhas mãos estão secas, muito secas, secas demais - porque também é inverno, ou quase - e minha cabeça não está. Minha filha sorri e olha pra mim, inocência pura, e não me vê, vê uma mãe, uma pessoa que lhe alimenta, um porto seguro. Mas onde está o meu?

Elevo meus olhos para os montes... e eles se enchem de lágrimas, a luminosidade me faz mal, tudo me faz um pouco mal. Meu cabelo cai, cai e cai. Minhas juntas dóem, minha coluna dói, tudo dói. Ser mãe dói.

Não reclamo, apenas me entristeço com a impossibilidade de descansar por inteiro.

Mas a vida segue, tomando estranhos rumos, à revelia. Bye.