terça-feira, 1 de março de 2011

Estranhamento

Hoje o dia foi todo estranho: almocei pelo segundo dia consecutivo no RU e tudo bem, mas na hora da janta, fui sozinha e estranhei demais: o que eu to fazendo comendo ainda no RU? ainda dependendo da UFV? Depois, ás 20h30 fui pra aula... aula?? eu, formada, no meio do pessoal do terceiro periodo, ainda nakela animação boba de calouro, e eu lá, putz...foi muito estranho, como se eu tivesse voltado no tempo, regredido... como se eu estivesse atrasada, mas atrasos são comuns na minha vida: aos 12, 13, as menininhas da minha sala comentavbam sobre sua mestruação, e eu... tendo q envergonhadamente dizer q eu ainda não tinha ficado... só aos 14, no dia do niver do meu hermano mais novo. Depois comecei a trabalhar lá depois dos 18, quando os meus colegas do mesmo nivel social ferrado já trabalhavam bem desde os 10 ou 15. Aí veio a universidade aos 23... eu nunca reclamei, mas esse retrocesso que senti hoje foi bastante ruim. Senti o quanto preciso sair de Viçosa, ainda que por alguns dias, como farei agora nesse feriado de carnaval...e depois, preciso urgentemente do meu intercâmbio, pra ir embora de vez. E quando ritornare ao Brasil, não sei que rumo seguirei, mas já são outros quinhentos.

Tenho vivido dias sufocantes e hoje me estressei demais com um telefone do meu chefe. Mais uma turma de inglês, agora estou com onze!! Acho meio abusivo esse negócio, porque eu sou a única professora. Ta certo que vou ganhar mais, mas não quero mais trabalho, não mesmo. E ainda mais crianças, ai meu Deus, estou muito sem chão.

Sem chão e coração... quanto mais o tempo passa, mais eu pareço não ligar... depois de tanto se machucar, a gente acaba aprendendo a machucar também, e eu temo que esteja machucando muito quem não merece com a desculpa da sinceridade, assim como já me fizeram. Tudo cansa, tanto amar demais quanto insistir demais em algo que não vai. Não vai e pronto, porque o mundo não gira em torno do nosso umbigo e não está aí pra realizar todos os nossos desejos egocêntricos. É assim que é. Cada pessoa tem sua vontade e sua verdade. E quando há a vontade mútua, MÚTUA, de construir algo em conjunto, em CONJUNTO, as circunstâncias se adaptam ao que queremos, e nós, na verdade, é que sutil e inconscientemente nos adaptamos ao outro e fazemos acontecer porque queremos, QUEREMOS, NO PLURAL, OS DOIS.

Eu não tive esse encontro e, como disse antes, temo estar cada vez mais longe disso por causa das feridas abertas. A gente tem que ir no médico, porque colocar gaze por cima e disfarçar não adianta. Tem que expor, limpar, doer e sangrar bem até curar de vez. O que seria extamente ir ao médico eu não sei. Mas acho que já fui: pode ser se expor pro outro, falar e não calar, mostrar a sua verdae, mostrar você, mostrar a que veio, mesmo sabendo que o outro não acatará a sua verdade, ou a sua vontade.

É, hoje é realmente, ou foi, o dia do estranho. estranhamento inclusive disso tudo que acabo de falar, porque meo que vai contra algumas coisas que penso... o ser humano, sempre em luta consigo mesmo. É o Romantismo. Ah, por falar em Romantismo, hoje foi minha primeira aula, e aí até a professora virou pra mim ao entrar na sala e disse: "você aqui?" "é..." "optativa?" 'não, complementação..." "ah, sim, vc formou neh?" "é...".
É, eu ainda aqui...o que estou fazendo aqui? I ask myself. O que, Rebeca? estou atrás dessa resposta.

Às vezes sinto a música me chamar. Porque quando estou assim, a melhor coisa é cantar, cantar alto, apesar de que minhas chances de fazer isso são poucas. E mal eu não canto não. Seria um outro caminho no qual nunca me arrisquei, e talvez nunca o faça. É coisa minha.

Eu preciso voltar a confiar nEle, mais ainda. Às vezes me esqueço dEle, e isso não é nada bom. "Deleita-te no Senhor teu Deus, e ele concederá o que deseja o teu coração". Amém.

Auto-sabotagem II

DIAMANTE

a felicidade era perfeita
mas cristais se quebram
e a pressa é amiga da minha perfeição
eu não me calei
falei
me delatei e deletei
e daí...
se tudo era cristal
melhor que tenha quebrado
caço um diamante
não só a beleza
mas durabilidade

a felicidade nunca é perfeita
e o que digo são cristais
e o que sentes, que pena, também é
eu não me calei
falei
testei a força desse amor
e não tinha força...
cristais...
só beleza.

Só lamento.
Quero um diamante.
O coração do oceano.