terça-feira, 8 de março de 2011

Feliz dia Internacional das Mulheres!!

corrigindo: HOMEM né rs...

É isso aí, mulher: não espere pelo impossível, querida! CARPE DIEM!

A Espera


Dois dias, dias e dias...vivo intensamente
tudo acontece e me acontece, me bate
abate

Tudo dói no coração
e eu me sinto gritar
não sarou

nada me basta
não me axei
não sou daqui nem de lá

bebo água e a vista embaça.
ouço música, tento cantar
a voz embarga
como, o dente dói.
o frio dói.
febre. adoeço.

nada é meu, eu não sou de ninguém
e preciso de pertença
adoeço. Não sou daqui, amigo
não me pergunte onde é a rua da espera
Eu sou a espera.

O que voltei

Não sei o que voltei
só tenho a mesma pressa-impaciente de sempre
estranhamente
quanto mais essa pressa, esse taquicardia
mais pareço calma e apática.

Voltei certeza: não pertenço aqui
voltei tristeza: não sou daqui
a minha terrinha mais bela está
e como seria minha vida lá?
imagino...

Minha terra tem montanhas
onde passeiam todos nós
as lágrimas que aqui derramo
não as derramo como lá...

Pudera eu ficar um pouco mais
e saborear melhor os ares imperiais
de minha mãe-terra-natal
pudera eu, ah! pudera!
ficar só um pouco mais...

Hoje é meu dia, nosso dia...
mas tudo o que sinto é vazio
ah, minha bela terra!
a serração, as montanhas, aquele clima aconchegante, acolhedor, romântico

eu não voltei, na verdade
ainda estou lá, nas terras do Monte Belvedere
na casa de Dumont e de Princesa Isabel
Petrópolis...