quarta-feira, 4 de julho de 2012

Os mistérios que há

Rita, Camilo e Vilela.

Foram duas partes bastante distintas do meu dia: primeiro na igreja onde sei que Ele me viu e falou comigo. Novamente aquela sensação de que eu tinha que estar lá, hoje, de manhã, exatamente na hora mesmo que cheguei, atrasada. E odeio atrasos, mas ultimamente pra ir a certos lugares, não tenho pressa. Nem pra encontrar certas pessoas. 

Depois a decisão de almoçar na rua mesmo, e depois vir a UFV acessar a net... ai resolvi fazer hora porque o laboratório de informática ainda não abrira. Fui à livraria e me deparei com um livrinho fino com alguns contos de Machado de Assis. Abri o livro. O nome dele estava lá, não o de Machado, mas o dele, dele ainda. Não resisti, comprei o livro.

Era uma história trágica em trio: C, R e V. V casado com R, que tem um caso com C. V aniquila os dois. Tudo que senti sabendo deles juntos voltou nas partes em que se narrava o amor dos dois. Tudo que eu queria ou pretendia na minha ilusão fazer, V o fez por mim. Pensei em abrir o (segundo) texto de hoje com uma pergunta, você já pensou seriamente em matar alguém, a ponto de elaborar os primeiros passos do ato? Assustaria, mas já estou assustando com essa minha resposta afirmativa... não sei o que há. Sinto o mal fervilhando e o bem querendo ainda prevalecer e... incrível luta e nunca a senti tão forte.

Tem muitos mistérios... os mistérios que existem em maior número do que supõe nossa vã filosofia. Não sei o que será, mas não consigo esquecer, simplesmente não consigo esquecer, passar a página. Parece tão injusto eu perdoar e deixar pra lá, porque eu não fiquei bem em tudo isso. Estou bem agora, posso dizer, mas com as marcas do que foi ainda visíveis. Diria até que algumas ainda sangram, feridas. 

E tem as decisões, as muitas decisões que se precisa tomar (precisa?) baseadas nas milhares de opções que vida e pessoas nos dão ou nos obrigam: eu estaria ainda com ele, no passado, se pudesse. Eu estaria ainda com a minha cabeça fresca e crente e inocente de tudo. Eu me apaixonaria de novo, agora, nesse momento, com a mesma intensidade, se isso fosse tipo um botão turn on/off. Bom né?. Mas aí não seria a vida. Eu não estaria fria e distante e má, se pudesse. Acontece que posso, mas há o mistério, uma força; há o algo inexplicável que faz a gente fazer as coisas do jeito mesmo que fazemos. E faz as coisas acontecerem do jeito que elas acontecem mesmo; efeito borboleta, destino, A cartomante. Whatever. Bye...


O que falta, ainda


Férias. Tenho dinheiro, mas também muitas contas a pagar. Hoje mesmo saí com 200 e foi tudo embora... Planejo ir a Petrópolis nesse fim de semana, depois semana do fazendeiro, depois um casamento, depois São Paulo. Ah, e ainda tem a possibilidade de Ouro Preto.Mandei os documentos para a avaliação de títulos, agora só aguardar.
Sinto faltas. Estou só em casa, ouvindo músicas e tudo que quero é companhia. As músicas regem algo dentro de mim que sintaxe nenhuma pode. Não sei, mas falta sempre algo. Falta tranquilidade, despojamento, coragem, mais cara de pau talvez. Isso eu tenho mas só sob efeito etílico.

Sem tv, sem net em casa, vou levando... porque eu nunca sei o que fazer? sei la... pois é... Nunca me senti tão só nessa fase da vida... parece que estou perdendo todo mundo, metendo pés pelas mãos, enfim, uma revolução gradual, cada dia é uma coisa. Parei de contabilizar o mal de cada mês, enfim estamos no meio de 2012... passou rápido. Realmente começou muito mal pra mim, mas vejo as coisas agora se estabilizando.

....

Disseram-me hoje que minha vida está resolvida, que pelo menos sei o que quero. Sei? Pelo lado profissional, posso dizer que sim: gosto de ser professora, especificamente de inglês, que é a mola que moveu toda a minha vida, desde a infãncia. Consigo ver a língua em si sem EUA e imperialismos e etc etc que há por trás do inglês. Sempre quis trabalhar com essa língua, seja dando aulas, tradução, revisão, o que for. Assim sendo, ok, estou no caminho.

Mas vejo os casais pelas ruas e digo a mim mesma que é isso que falta, ainda. Falta, sempre faltou. Todo mundo ri daquelas piadas no FB com o meme foreveralone, mas tem muita verdade e tristeza por trás das piadinhas... Mas caminhemos.

Fim de semana vou a Petrópolis, depois tem semana do fazendeiro, depois Ouro Preto, depois Sampa. estou quase desistindo de Ouro Preto, não to podendo viajar tanto, apesar do meu saldo ter aumentado considerável e misteriosamente. Coisas da vida...