quinta-feira, 15 de agosto de 2013

She's all

(Quarta, 14 de agosto) Parto. Barriga. Fome. Chutes. Cansaço. Variação de humor. Amor. Beijo. Tosse excessiva. Noites (já) mal dormidas. Ultrassom, exames. Menina. Girl. muita coisa acontecendo, mudando. E eu sempre lendo histórias de partos e de direitos humanos que me impressionam. Não sei, as pessoas são estranhas. E diante de tantas histórias que nos incomodam de uma certa maneira, a tendência é mesmo se afastar e preocupar-se somente com o próprio umbigo. Mas em relação a filhos, não podemos deixar pra lá, fechar os olhos pra nada. vai ter hora em que ficarão sós com outras crianças, com outros adultos, com parentes, com irmãos. A maldade humana é tanta que precisamos ser "maldosos" também, olho aberto. problema que ás vezes a gente cria o filho numa bolha. Ai, a maternidade... difícil. Minha gravidez está até tranquila, fora essa neuras que a gente cria mesmo. A bisavó dela está aqui esses dias e deu um presentinho pra ela, um macacão rosa com a tiarinha também rosa. Gosto de rosa, mas ainda bem que tenho coisinhas de outras cores. Também nem quero furar a orelinha dela, não vou ter coragem de ver e nem das vacinas, que sei serem necessárias. A pessoinha mal chega nesse mundo e já vai sofrendo dores físicas. Fiquei vendo fotos dos meus sobrinhos hoje e inclusive comparando uma minha bebê com uma do namorido. Ela parece com ele, viu...
Enfim, é ela. É ela com todas as implicações que essa definição traz. É ela com todo amor e todos os medos e perigos. É ela porque tinha que ser, porque Deus a quis. Pra ela:


(Quinta, 15 de agosto) Baixei essa música recentemente e não sabia que era tão antiga, data de 1964. Tocou no filme "Meu primeiro amor", que é lindo. E na linha de filmes de meninas, me lembro de "Little Miss Sunshine", dois filmes que minha pequena deverá ver, além de todos aqueles contos de fadas bobinhos e lindos, A Bela e a Fera, A Bela adormecida, Branca de Neve, Rapunzel, Enrolados (versão mais moderna de Rapunzel), A pequena sereia, Cinderela, a princesa Odete, e todas as animações modernas, e... é muita coisa que a gente pensa pro próprio filho, sendo que ele deverá ter seus gostos próprios. Muita coisa que a gente quer mostrar, quer ser o primeiro a levar nesse ou naquele lugar, quer passar tudo que sabe, quer ser exemplo a seguir. Quer tanta coisa e é bom também saber e ficar na expectativa de quem ela será, como será em todos os aspectos. 
Hoje fomos fazer umas compras e o dinheiro que era bom ficou pouco. Imaginei na hora como será, então, quando ela estiver já aqui com a gente. Rindo, brincando, chorando, reclamando, xingando ou agradecendo. Brigando ou querendo colo. Se machucando, vendo TV, mexendo no seu FB, na net. Perguntando por que isso, por que aquilo. Me chamando de mãe :)
O dia amanheceu frio e chuvoso, acaba que não fui cumprir meus horários no departamento. Senti muitas dores hoje, foram mais de cansaço e intestinais, além das pernas... Ela cresce enquanto eu sofro o dano. Até pensei que poderia estar adiantando a chegada, mas acho que não. Lídia virá entre 12 e 15 de novembro, isso se não for um pouco antes. Fico querendo logo, mas também dá medo. Do parto, de tudo. Todas aquelas palavrinhas do início running through my head... God blesses us, bye!