terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Razão para viver



Ah! Se o mundo inteiro me pudesse ouvir
Tenho muito pra contar
Dizer que aprendi...


Tim Maia - Azul da cor do mar

Acho que esse foi um dos anos mais difíceis da minha vida, senão o mais. Quem trabalha, quer usufruir do ganho, do fruto do seu trabalho, mas eu não pude. Aliás, não pude fazer muuuuita coisa que gostaria ou deveria. Anyway... e novamente me deparei com o defeito mais visível, a falta de tato para relacionamentos, ou melhor, para relações humanas. Mas dessa feita, tomei uma atitude diferente, deixei pra lá... bom, na verdade, chutei o balde. Só vou me esforçar pelo meu casamento e por minha filha, duas coisas que agora são prioridade. Os planos, os sonhos, nem sei mais, tenho que rever muita coisa, planejar melhor e sobretudo executar, por as coisas que tanto rondam a minha cabeça em prática.  
A propósito de ser mãe, aprendi muita coisa. A gente não sabe ser mãe até se tornar uma. Tem sempre gente dando palpite sobre como vc deve cuidar do seu filho e isso te tira do sério, pq a gente que veste a camisa do ser mãe conhece o filho, tem certezas e convicções e não quer palpite alheio, de quem quer que seja, mas nem tem como evitar... Um filho é o presente mais perfeito do universo, mas uma coisa é a gente ver o neném no colo dos outros, outra é cuidar do nosso próprio... é um giro de 360°. Be ready. Detesto mães adolescentes. Adolescente já é marrento, acha que sabe de tudo e, quando tem filho, piora. E, ainda pior, não têm a mínima noção de que um filho vai sim dar uma parada em suas vidas e que pais devem sustentar seus próprios filhos, o que na maioria dos casos não acontece, sobra para os avós. Se não pode sustentar, não pode engravidar, simples. E nem deveria fazer também...

Tinha tanta coisa pra escrever aqui que nem sei mais. Lan house, calor infernal, filha no colo, nada contribui. Fico com o que disse Jesus: "Tudo coopera para o bem daqueles que amam a Deus". Preciso amar mais a Deus. Amém.