terça-feira, 19 de outubro de 2010

Cruzo os braços

*de Kavorka. Mulher de braços cruzados.

eu tenho a perfeição do caos em mim
e não sinto mais vc
não vejo mais vc

cruzo os braços, aceito a tua presença imaginada
aceito o vento que me diz oi
que não é o teu oi

seguro a lágrima e sorrio
e digito "td bem tbm"
para a tua pergunta de como eu vou...

eu não vou na verdade
eu não vou a lugar algum porque meu coração fica
e ficou com vc

por isso não sofro mais
não tem mais emocional
vc me roubou

e eu te vou atrás por isso
por querer o meu coraão de volta
eu não te sinto mais
cruzo os braços e não sinto mais

mais nada. secura.
dor.
dor que não dói, dor latente.
é o que sinto.
Mas não sinto,
eu não sinto, eu não...

eu te sinto pulsar em cada batimento do meu coração
e te sinto correr em minhas veias
eu te sinto voar nas minhas asas
e pousar em mim

então eu placidamente cruzo os braços
e deito na cama sem pesar
pq vc já está em mim
vc está em todos os poros e na distância
vc está, vc é
e eu não sinto mais nada
recuso a sentir e a dizer
me anulo sempre
para o bem.... de quem?

se o bem de meus olhos era o teu sorriso
se o bem de meus ouvidos era tua voz
se o bem de meus lábios eram os teus
se o bem de minhas mãos era tua pele
se o bem de mim era teu corpo
louca que estou de desejo de vc
vontade de vc que calo e não revelo
me anulo

pq não posso ser eu
pq não posso nada...

cruzo os braços e me deito.
um dia cruzarei o braços sobre o peito
e vc estará livre.