terça-feira, 2 de abril de 2013

Lindeza!


E ia desabafar, escrever que preciso disso, disso, daquilo outro, que não tenho isso ou aquilo outro. Mas hoje descubro, agora à noite, acabando o dia, que hoje é dia mundial do autismo. Meu sobrinho tem. Meus problemas ficam tão menores se eu pensar nele, mas, ao mesmo tempo, ele é feliz por não ter muita consciência do que acontece à sua volta. 

Felizes aqueles que não sabem
que nada sabem
que vão e vem e sorriem assim do nada
e que a cada dia crescem
aprendem sem saber que sabem
amam sem saber o que é amor
vivem sem saber de sua existência
ah, como são felizes!

Eu queria não saber. Viver na ignorância, seja por falta de conhecimento ou por impedimento genético, talvez a existência passe mais suave, mais simples, sem grandes hipóteses que fazem somente o cérebro ferver, o corpo cansar, a vida passar sem mais nem menos. E como eu me enganei com o amor. Amor não é remédio pra nada. O amor hoje é ele, meu querido Estevan. Um grande bju, minha criança. 

Comer, dormir, tomar banho


Para mim, sempre foram essas três coisas as mais prazerosas; ultimamente, não posso usufruir da primeira como deveria...

Recentemente fiz uma endoscopia, procedimento extremamente simples em vista do que me falaram, porém com sequelas, tipo um "pós-operatório", muito graves que não me contaram... enjoos  náusea, queimação. gravidez? Não, apenas efeitos do bendito exame. Bom, o resultado já saiu e pelo que entendi, realmente tenho gastrite, leve. O embrulho no estômago está bem tenso, e os gatos... ah, minhas vidinhas estão se esvaindo e preciso me "livrar" delas. Preciso me livrar de coisas ruins dentro de mim. Preciso escutar e ser escutada. Preciso ir pra frente e não olhar pra trás. Preciso de todos os clichês que dizem por aí, coisas que cansamos de ouvir, mas que são aplicáveis e não as aplicamos. Não sei... preciso de frustrar menos com a opinião alheia, coisa que sempre me derruba. E meu corpo está reagindo à todas as porcarias que já comi e que já guardei no coração: mágoas, rancores, raivas e ódios. Ai, o libertar-se da vida, vitórias no presente! utopia.

Ontem na igreja passei bem mal do estômago. Veio a Palavra e decidi reagir. Está dando certo, considerando que hoje, segunda, primeiro de abril é o primeiro dia de reação. God bless me. Mas a Palavra  que me veio foi um tanto dura, quase que me jogando no chão. O que me ficou foram as expressões "pecado", "caminho longo" e "futuro de vitória". Questionei o Criador, pareceu que realmente estou toda errada, sempre acho isso, na minha paranoia da baixa-estima. E meu caminho, mais longo ainda? E porque vitória só no futuro? E o presente? Questionei, mas me calei. "Bom é aguardar a salvação do Senhor, e isso, em silêncio." (Lamentações de Jeremias 3: 26). 

Não sei nunca qual deve ser minha reação frente ás situações do dia a dia. Não sei, digo que não sei, mas bem lá dentro devo saber, só tenho medo de encarar esse meu saber. Eu só não sei mesmo são as regras de convivência. Devia por uma placa na porta do meu quarto dizendo: Cuidado! Pessoa anti-social. Com hífen? Não sei. Bye. 

 P.S.: procurar psicólogo urgentemente!