Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro 1, 2013

Ars

Sinto que amo
sem vírgula nem aposto
aposto no futuro
do pretérito,
subjuntivo
tão subjetivo é
esse amor

Rebeca Melo, eu :)
Somos completamente antisociais. Ficamos perdidinhos, não sabemos se um, dois ou três beijos, se abraça, se só aperta a mão. Etiqueta, nos interessamos, mas só como arte a estudar, não como prática a exercitar. Moda, conceitos, decoração, poesia, literatura, pinturas, desenhos, quadros, entendemos de tudo um pouco. Altamente sensíveis, sabemos ouvir muito mais do que falar, porque nos falta a habilidade de boa comunicação oral, apesar da nossa ânsia por essa comunicação, que acaba saindo em forma de arte, das mais variadas, desde grafite ao ballet. Nossa arte é nossa fala. 
Mas tem as crises: de identidade, de nervoso, estresse, esquizofrenia, bipolaridade, distimia, depressão, tão comum a nós. Alguns tem pouco ou nenhum controle sobre isso. Se matam. Cortam a própria orelha. Tomam veneno. Apunhalam o próprio peito. Ou até mesmo continuam (sobre)vivendo. Sinistro.…

Das coisas que sei - ou um pouco da minha Saga, part I

Eu que tinha tudo, hoje estou mudo, estou mudado, à meia noite, à meia luz, pensando, daria tudo por um modo de esquecer... Tem hora que dá um nó, uma saudade de coisa que só nos fez mal, tipo no meu caso cair na gandaia, sair. Não posso. Tenho a doença da falta de domínio próprio: minha vontade está à mercê do outro, o que disserem, assim será. 
Na minha primeira década de vida meu mundo e tudo o mais foi regulado por meus pais e a Igreja (evangélica). Eu estava bem, estabilizada, descobrindo o mundo em que vivia e absorvendo-o. Fui a criança bicho do mato. Fiz xixi na calça na escola por vergonha de pedir à professora para ir ao banheiro, já que ela negava tal pedido aos meninos bagunceiros, fato que eu não captei na época. Fugia das aulas de educação física por pura falta de interesse nelas e posteriormente por vergonha de minhas pernas foliculosas e finas. Meus irmãos eram os meus amigos. Tudo estava bem porque meus pais é que eram os adultos que cuidavam de tudo, eram os poderoso…