domingo, 13 de janeiro de 2013

Olha, não sou daqui...


Estou tentando não sofrer da minha ansiedade aguda.

- Eu sabia o nome do distúrbio... - disse meu namo
- Que distúrbio? - perguntei enquanto catávamos o macarrão cru que ele derramou todo no chão da cozinha, ao abrir tão delicadamente o pacote.
- Esse distúrbio que você tem... na mesma hora que vc tá feliz, vc tá triste, na mesma hora que está triste, tá brava, feliz...
- É distimia, mô, é daquele livro que eu te mostrei!
- hm.. é...

Eu sei o que tenho, como tenho, o que sinto, como sinto. Disse à ele que a música "Antes que seja tarde" do Patofú era pra mim, era minha, ele indagou por que, eu disse que explicava depois... e precisa?

Na verdade continuo sob a mesma condição
distraindo a verdade e enganando o coração...

Mas precisa explicar sim, porque ele é claro e objetivo, e eu sempre quero que as pessoas simplesmente me advinhem, mas não são capazes, nem eu sou, apesar de que na maior parte das vezes faço sempre uma boa leitura alheia.

Leio blogs de desconhecidas e desconhecidos, leio PapodeHomem, adoro saber os papos de homens, são mesmo mais práticos e objetivos. Só depois de um grande drama e lágrimas e cara feia consigo me fazer entender. E aí ele me diz:

- Custava ter falado??

Custava sim, me custa ser como geralmente não sou. Custa falar e me fazer entender, meu normal e´complicar, mas a meu ver não é complicação, assim sou eu, sou eu assim pensando em meu amado... rsrsrs... bye, porque o amor me faz boba.