domingo, 26 de agosto de 2012

Stuck in a moment


Hey, I just met you
and this is crazy
but here's my number
so call me, maybe!


Já é tão tarde... acordei hoje às 14h22, pelo menos foi a hora que tava lá quando liguei o celular. Noite de sábado regada a Blues e Jazz - na verdade era mais rock-blues - e mais nada. Olhares e nenhum resultado prático. Eu me senti meio mulher, meio menina, meio masculina, meio adolescente. Anets de sair de casa, ouvia Carly Rae Jepsen, Call me maybe. Bem teen. Ouvi também Hanson, Avril Lavigne, etc. Gosto muito do mundo adolescente, talvez por ter uma turma cheia deles. Tem a música Glad you came também, do The Wanted. Teens em alta agora no mercado americano: Demi Lovato, Selena Gomez, Justin Bieber, etc etc... ou já estou por fora? Acordar tarde me faz pensar que é tarde demais pra certas coisas: para a adolescência, para meninos, para espinhas e dúvidas, para curtir a vida adoidado, pra usar All Star e coisinhas coloridas, pra tanta coisa... Mas estou de alguma forma presa na adolescência, Stuck in a moment, como diz o U2. Isso é bom, isso é mau? Não sei... É mau porque ninguém pára no tempo, nada pára, na verdade nem eu, mas é uma impressão, quase uma ilusão de ótica. De repente vou me ver com mais de 40 e nada aconteceu... Isto é, muita coisa terá acontecido, mas a impressão que terei é que muito tempo passou e eu não fiz coisas que deveriam ter sido feitas. Não sei. Às vezes não sei se devo tomar iniciativas ou não, e tomo ou não tomo. Na hora de tomar, não penso nisso, só ajo meio que por instinto. Aí depois penso e sou oito ou oitenta: enfio o pé na jaca ou entro para um seminário... Parece não haver equilíbrio possível para mim, posto que possuo alma teenager

Mas não quero pensar, prefiro continuar no automático, sem curtir a vida, como muitos pregam. O que é curtir a vida? 

Só sei que os animais e as crianças são o que de mais perfeito existe. Vinho também, em boa companhia. 

Bye.