domingo, 1 de janeiro de 2012

Amor.

"Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou o sino que tine". I Co 13:1


O calendário deste blog marcou primeiro de janeiro de 2012. AAAAAAAAAAAAh!! medo. Passei a noite de reveillon de joelhos diante dEle e juro que pensei que Jesus Cristo voltaria na virada de ano. Fechei os olhos e só ouvi os fogos, não as trombetas dos anjos. Vai ser quando tiver que ser.


É, eu não fui para a Avenida Paulista e foi melhor assim. Fui com minha irmã pra igreja do marido dela, e também com o sogro dela. Era pra eu estar lá. Foi um daqueles momentos em que você sente que não poderia estar em qualquer outro lugar, e também pensei, meu pai, como assim eu pensei em ir pra outro lugar, como assim eu estive tão longe de ti por tanto tempo?? Eu poderia morar na igreja, estar na presença dEle 24 horas na igreja, tudo seria mais fácil. Mas o grande desafio que Ele impõe a nós é esse, estar perto dele sem se alienar do mundo, e saber dizer não quando preciso, a lição que vou ter que por em prática em 2012... medo de mim.


Entrei na igreja e errei feio: vi as pessoas todas arrumadas, maquiadas, bem vestidas, e já torci o nariz, julgando as pessoas. Prefiro pensar agora que Deus deu tudo que elas tem, cabe a elas usar tudo com sabedoria... Pensei também que nunca serei uma daquelas pessoas, não tenho berço. Muita coisa mudou em mim, mas quando alguém me conhece, largada desse jeito, não diz que me formei, continuo usando jeans e camiseta, às vezes saio por aqui com o cabelo que acordei, continuo com dúvidas existenciais, etc etc. Continuo com minhas bobeiras e manias também, sei lá... ainda sou meio adolescente, axu.


O pai dos binhos, meu irmão, voltou ontem do trabalho e disse que vai ficar mais 25 dias fora. Fui conversar com ele e nada adiantou. Os gẽmeos farão 2 anos nessa quinta, quando viajo de volta a Viçosa. Meu irmão está organizando uma festinha, e o que ele não entende e não quer dar é a sua presença maior para os pequenos, nem a mãe deles. Que fazer? Já tenho o coração apertado por ir embora. Toda vez que alguém sai, eles choram, e se alegram muito quando alguém chega. Sentem já o abandono.


Também sinto um pouco, um certo abandono em mim  mesma. O meu amigo colorido aqui de São Paulo me perguntou se não me bate uma deprê lá em Viçosa por estar longe de casa, da família... bate sim. Mas quando eu to aqui, tudo é uma confusão, choro de crianças, brigas, gritaria, ...  Ah!meu álbum ficou muito bom (e muito caro tbm!!) , apesar das fotos um tanto repetidas, mais de perto, mais de longe. Hoje chegou o quadro que mandaram fazer com uma foto que minha mãe escolheu, eu não escolheria aquela foto, mas como vai ficar aqui em casa mesmo... estou levando comigo o cd de fotos, o dvd de filmagem da aula da saudade, do culto, da colação e do baile. Assisti a parte do baile toda e não apareci em nenhum momento, só na filmagem da mesa. Também vou levar o poster, tem três fotos minhas, em três momentos diferentes. Eu estava feliz na minha formatura, muito mesmo. Faz tempo que não me sinto assim.


Agora enfiei na cabeça que ou vou aprender uma nova língua esse ano, ou aprender a tocar bateria, ou entrar pra academia. A língua seria o francês, instrumento pode ser outro também, bateria, ou baixo, ou até teclado, e academia eu faria aeróbica ou pilate, nem sei direito o que é cada um rsrs. E ainda tenho urgentemente que ir ao médico, estou com uma alergia respiratória estranha, parece início de resfriado, mas irrita mais.


Estranho tbm foi o sonho que tive. Eu tinha cortado o dedo, que ficou pendurado, sem sangue. Mas depois era meu pulso que estava cortado, cortado mesmo, e minha mão pendurada, sem sangue ou dor também, e ai eu amarrava umas coisas estranhas pra "colar" de novo a mão ao braço. Ainda não consultei meu guia de sonhos pra entender um pouquinho o que seria isso tudo. 
...

O pastor falou de ter paixão, da chama que queima no coração, de amor às almas e às pessoas, de sermos líderes e conduzirmos as pessoas ao Reino de Deus. Senti a chama no meu coração naquele momento, mas a dificuldade está em mantê-la aqui fora. Toda a dificuldade se apresenta nesse mundo, porque foi Jesus mesmo quem disse que teríamos aflições nesse mundo, e não prometeu nos livrar delas, só disse pra termos bom ânimo porque Ele venceu o mundo. Amém!