segunda-feira, 23 de abril de 2012

Meus 28 anos


Hoje acordei com meus 28 anos, de fato e verdade, pesando nas minhas costas. Me vesti feito uma mulher, nada de camiseta e jeans, na verdade, jeans sim, mas uma blusa mais sóbria, séria, acessórios "adultos", tudo porque hoje é hoje. Tenho uma reunião de pais mais tarde e nem sei bem o que dizer, como começar. A reunião foi convocada pela falta de disciplina dos meus teenagers students. Mas como tratar disso com os pais? God bless me...

Ouvia a rádio universitária hoje de manhãzinha e descobri uma música perfeita pra começar essa segunda: Vacina na veia, Ana Cañas

Meus olhos ardem agora, não sei se por causa do friozinho depois de uma chuva de noite inteira, ou se por causa das minhas abundantes lágrimas matinais. Acordei muito cedo por causa da calabresa - minha gatinha - e não dormi mais. Aí minha mente ficou vagando e foi buscar lembranças pra me torturar, é claro. Minha mente é extremamente masoquista. Chorei e chorei. Levantei, fiz bolinhos de arroz e vim embora cumprir meu horário de monitoria. Não vou almoçar, não vou fazer muita coisa, vou me estressar, vou ser professora de inglês hoje, só isso. Vou me concentrar no meu trabalho, só isso. Vou ser uma máquina funcional, talvez a vida pra mim seja isso, trabalho. Vou ter meus 28 anos hoje, de fato. Vou seguir em frente sem saber se visto camiseta e jeans ou um terninho. Vou tentar contornar essa vontade louca de chorar na frente de todo mundo, de querer chamar a atenção, de querer ao menos a pena das pessoas... não. 

"Uma mancada como aquela, a gente acaba esperta..." Amém.

...