quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Na base do milagre

Rebeca e Eliézer (Gênesis 24)

E vós com alegria tirareis águas das fontes da salvação. Isaías 12:3

Alegrai-vos sempre no Senhor, e outra vez vos digo, alegrai-vos! (Filipenses 4:4)

Bom, mais uma boa notícia em meio á crise, meu milagroso dinheiro de todo mês reapareceu. Explico: recebi abono do PIS na hora exata, em que mais precisava, e nem estava sabendo que tinha direito ao tal. Vai dizer que Deus não existe? Tudo bem que eu tinha direito, que essa é a epoca de receber e blá-blá-blá, mas creio piamente que foi Ele, maravilhoso e perfeito como sempre. Senti uma alegria tão grande que mal posso me expressar por palavras.. Já pensei em revender coisas, fazer sociedade, fazer isso e aquilo, mas não tenho tino para os negócios, não tenho o menor talento para empreender qualquer coisa e dependo única e exclusivamente dEle. Dos milagres de suas mãos, do seu amor perfeito e da sua grandissíssima misericórdia, porque é por causa dela que não somos consumidos, graças a Deus. Ele é perfeito, Deus forte, maravilhoso conselheiro, Pai da eternidade, príncipe da paz, glorioso Deus! Estou eufórica, quase. Obrigada, Senhor, porque em meio a tanta maldade e omissão da minha parte, o Senhor ainda se faz presente na minha vida e me mostra isso o tempo todo, com pequenas e grandes coisas! "Grandes coisas fez o Senhor por nós, por isso estamos alegres!" Salmo 126:3. 

Ele vale a pena e tudo vale a pena quando a alma não é pequena e quando se tem um Deus todo poderoso olhando por nós, amém. Feliz, feliz, obrigada Senhor. Não foi muito o dinheiro, mas o suficiente para o que preciso, e por isso estou alegre!

Vivo meio na base do milagre, sempre necessito disso. Ainda bem que Ele está aí. Digam o que for, foi Ele, foi Ele. por isso eu não estava tão preocupada com minha vida financeira; o outro lado é que sempre me preocupa, mas até isso parece que agora vai, isto é, não vai, estou "dando um tempo", mas tá tudo bem. Sim, tudo bem. Boa noite, amém.


Epifania

parents!! :)

Não tenho mais anemia, uma boa notícia no meio da minha crise. Mas continua aí o Omeprazol, o xarope, a pomada, etc, etc. tem a pílula também, tem o dentista, todos os cuidados médicos e chatos que temos que ter de tempos em tempos. Devo ainda ao dentista, devo à Tim, devo ao banco. Devo, não nego, pago assim que puder. Tenho muitas contas e não usei adequadamente meu salário de férias, aí ferra tudo. Preciso me organizar. E me organizarei ainda mais para o próximo passo que darei. Vem aí a realização de um sonho antigo... mal posso me conter, mas prefiro não dizer, o sonho, o ganho, tem a ver com muito e tanto e tudo do que sou eu. Penso nisso e uma felicidade grande me invade, ainda que temporária. 

Estou me sentindo ainda estranha, meio que voando, como se muito tempo já tivesse passado desde que amei, me apaixonei, não sei, como se fizesse muito tempo que eu vivi alguma coisa. Estou vivendo meio que pisando em ovos, como se diz; como que esperando vir uma nova tsunami ou tempestade na minha vida, com certo receio de tudo que faço e penso. Talvez seja simples mérito do filme 2012 que assisti ontem, talvez não. Sou assim, do talvez; nem sim, nem não. 

Ontem foi aniversário de casório dos meus pais, no civil, amanhã, no religioso. 31 anos de trancos e barrancos e 4 filhos. E domingo ainda tem dia dos pais. Depois eu falo sobre meu pai. Hoje fui ver uns cartões e nenhum tinha muito a ver com ele, vi até um legalzinho, citando Cristo, mas estava caro e envelhecido - acho que as lojas guardam dos anos anateriores que não venderam...

Epifania: De repente, o beijo não encaixava e aí vi o que estava fazendo de errado: tudo. Simplesmente tudo. Havia um vagar na minha alma que nada daquilo à minha volta preenchia: samba, funk, álcool, dança, olhares, fugas de si mesmo... tava todo mundo assim, alienado de si pra não sentir a dor de existir. E foi precisamente naquele momento que a dor brotou em mim...

Tive uma aula muito boa hoje, a última da noite. Tinha uma proposta de jogo no livro, um telefone sem fio. Uma aluna virou pra mim e disse: "Mas Rebeca a gente vai fazer isso mesmo?", com aquela cara de "nossa, que coisa idiota!". Fiquei sem jeito, mas fui firme: "vamos!". E no final de tudo deu super certo, eles riram muito e se divertiram. Não custa tentar o lúdico de vez em quando...

Vou postar isso logo antes que seja já dia 08. parabéns pai e mãe, meus amores, amados, minhas vidas. 
Boa noite!