Pular para o conteúdo principal

Epifania

parents!! :)

Não tenho mais anemia, uma boa notícia no meio da minha crise. Mas continua aí o Omeprazol, o xarope, a pomada, etc, etc. tem a pílula também, tem o dentista, todos os cuidados médicos e chatos que temos que ter de tempos em tempos. Devo ainda ao dentista, devo à Tim, devo ao banco. Devo, não nego, pago assim que puder. Tenho muitas contas e não usei adequadamente meu salário de férias, aí ferra tudo. Preciso me organizar. E me organizarei ainda mais para o próximo passo que darei. Vem aí a realização de um sonho antigo... mal posso me conter, mas prefiro não dizer, o sonho, o ganho, tem a ver com muito e tanto e tudo do que sou eu. Penso nisso e uma felicidade grande me invade, ainda que temporária. 

Estou me sentindo ainda estranha, meio que voando, como se muito tempo já tivesse passado desde que amei, me apaixonei, não sei, como se fizesse muito tempo que eu vivi alguma coisa. Estou vivendo meio que pisando em ovos, como se diz; como que esperando vir uma nova tsunami ou tempestade na minha vida, com certo receio de tudo que faço e penso. Talvez seja simples mérito do filme 2012 que assisti ontem, talvez não. Sou assim, do talvez; nem sim, nem não. 

Ontem foi aniversário de casório dos meus pais, no civil, amanhã, no religioso. 31 anos de trancos e barrancos e 4 filhos. E domingo ainda tem dia dos pais. Depois eu falo sobre meu pai. Hoje fui ver uns cartões e nenhum tinha muito a ver com ele, vi até um legalzinho, citando Cristo, mas estava caro e envelhecido - acho que as lojas guardam dos anos anateriores que não venderam...

Epifania: De repente, o beijo não encaixava e aí vi o que estava fazendo de errado: tudo. Simplesmente tudo. Havia um vagar na minha alma que nada daquilo à minha volta preenchia: samba, funk, álcool, dança, olhares, fugas de si mesmo... tava todo mundo assim, alienado de si pra não sentir a dor de existir. E foi precisamente naquele momento que a dor brotou em mim...

Tive uma aula muito boa hoje, a última da noite. Tinha uma proposta de jogo no livro, um telefone sem fio. Uma aluna virou pra mim e disse: "Mas Rebeca a gente vai fazer isso mesmo?", com aquela cara de "nossa, que coisa idiota!". Fiquei sem jeito, mas fui firme: "vamos!". E no final de tudo deu super certo, eles riram muito e se divertiram. Não custa tentar o lúdico de vez em quando...

Vou postar isso logo antes que seja já dia 08. parabéns pai e mãe, meus amores, amados, minhas vidas. 
Boa noite!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Cabana

Estreando essa Coluna de quinta, vou falar sobre o filme A Cabana (The Shack). Demorei um bocado para falar sobre o filme, minha vontade quando assisti o filme foi sair dali e correr pra fazer uma resenha linda, elogiando altamente o filme. Porém ponderei e deixei a emoção esfriar. A maioria dos cristãos, os mais estudados, está fazendo duras críticas ao filme. Este vídeo é bem interessante e prova disso. Não discordo dele em muita coisa, porém em algumas coisas discordo e vou explicar o meu ponto de vista. O MEU ponto de vista. Este outro vídeo já fala bem, levando em consideração apenas a mensagem geral do filme: que Deus deseja ter um relacionamento pessoal com cada um de nós. E isso, para nós cristãos, é um fato.

Desde que li o livro e soube do projeto do filme, porque já havia a ideia de transformá-lo em filme, fiquei na expectativa do filme. Confesso que quando leio, não consigo visualizar bem o que está escrito, e um filme me ajuda muito. Aí saiu e qual não foi a surpresa quan…

H. Pylori

A partir de hoje, se a grana deixar, minha dieta será essa aqui. Descobri, indo hoje ao médico, que tenho uma bactéria no estômago, na verdade uma bactéria comum que muita gente tem, mas que pode ou não se manifestar pro mal. É claro que no meu caso ela fez questão de ser do mal e se manifestar. Eu já tinha cortado bebidas alcoólicas, café e refrigerante, agora só falta remover o estômago mesmo. Sim, porque comer só frutas (não cítricas), legumes e vegetais sempre refogados, lembrar que isso ou aquilo tem gordura ou ataca o estômago, bom, é coisa de nutricionista, ou de gente antenada demais no que come. Cortar frituras também, que são superiormente mais saborosas que coisas cozidas, mas tudo bem. E pensar que tem gente se acabando no torresmo com cachaça sem nada lhes acontecer... Mais um capítulo da injustiça do universo contra mim. A vida sem sabor.
Duzentos mil atrasos hoje e o preço do remédio pra matar a bactéria me fizeram chorar de raiva e tristeza. Pergunto, como sempre, por…

Inutilidade pública - a história de Benê

O que é ser (in)útil?


Benê se sentia inútil. Vivendo de aluguel com uma gata e uma cadelinha, ia empurrando as coisas com a barriga (literalmente). Desempregado e acima do peso, gostava mesmo era de comer, jogar video game e conversar com friends pelo cell phone. A cadelinha era sua melhor companhia. de vez em quando gritava com ela, tocava-a de onde estava, mas ela logo voltava feliz lhe abanando o rabo. Já a gata não. Olhava-o com altivez, as vezes se roçava em suas pernas, recebia seu carinho e até dormia com ele, mas se irritada, arranhava-lhe sem dó e de repente. Benê tinha vários arranhões, mas amava aquela gata sem bem saber por que. De vez em quando ela dava um sumiço, mas sempre também voltava, com parcimônia. Estava sempre pronta para partir. 
Benê comia porcarias, e comida boa em quantidades rinocerônticas, mas gostaria de mudar se não fosse essa imensa, intensa e incontrolável fome que sentia. A comida era a única fonte e prazer que enxergava, rápida e concreta. Um dia pas…