quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Improdutividade


Ontem tive reunião com minha orientadora. Falei a ela da minha improdutividade. E ela me explicou as partes do projeto de monografia (para dia 06/09!!!) com tanta naturalidade, como se fosse tudo tão fácil, que me tranquilizou. Mas ainda não consegui assentar minha ansiedade, sentar e escrever o que devo. Estou esperando por ele. Não é Ulysses, não é CJ, não é amor, não é ser de nome; é akele algo pelo qual sempre esperei, a completude de tudo, a resposta, a clareza; não é ele, não é ela; é a conversa de bar sobre a infância, sobre os recalques, sobre a vida, sobre a espera de Ulysses, sobre a espera eterna de uma mulher, sempre pelo homem imperfeito que ama, o que o torna perfeito. É tudo isso que espero, quero, preciso; é a foto do convite de formatura na próxima terça, é a preocupação em tirá-la só de frente ou se de perfil, só do lado direito, que é o direito. É a preocupação com o pagamento das rifas de formandos, com dinheiro, xiiii....tudo isso me faz, mas quero me livrar de muita coisa. Da dependência, da carência nunca curada, da falta de grana sobretudo rs...

Leão at night ontem. teve bão, como já se disse. Teve estranho... eu fui na minha tentativa de androginia sexy. Olhei as mulheres; nao havia homens que valessem um olhar ou mesmo atenção ( na verdade, eles não valem). Mas eu esperava sim Ulysses me resgatar de parcos e tolos "pretendentes". Ele sumiu por hora de novo. Sábado ai vem e a espera será extremamente ansiosa. Tenho sofrido de ansiedade desde que avancei aki no curso, em Viçosa. Sempre fui lazy e assim continuo, mas agora se eu deito durante o dia e durmo ou cochilo, minha cabeça continua pensando mil coisas, não relaxo. Parece que estou esquecendo de fazer alguma coisa. Vida acadêmica...

Hoje a reunião, aula que assisti, aula que dei. Depois do almoço, quisera dormir. Mas fui prestigiar o coral da UFV, pelos 84 anos da UFV. Achei que não ia aproveitar dado meu cansaço, mas foi a melhor pedida. A apresentação de piano inicial, a dupla flauta e clarinete, depois o coral... tudo perfeitamente bom e harmônico... todos os acordes ressoaram dentro de mim... sinto que talvez tivesse me dado bem em música também. Amo as Letras e acredito que não vim a Viçosa por acaso. Não mesmo.

Um aluno novo hoje me chamou de senhora, haha. Me senti estranha, estranhei. Entendi que foi uma questão de respeito, mas... tenho apenas meus vinte e poucos anos!! hehe... Ser professor é uma coisa extremamente interessante. Todos deviam ao menos tentar. E eu devia tentar ser menos altiva, menos fechada...eu queria ser expansiva...mas não tive escolhas ao nascer: Ele me fez assim. Bye. (música-dica: Human Nature - MJ)