quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Sabe inveja?

Pois é, eu tenho.  A essa hora, pessoal lá na Flórida... e uma amiga agora que vai pra Portuga...

Mas a minha preguiça e comodismo são maiores do que vontade de ir pra lá e do que a inveja também... pórtanto, eu fico aqui me roendo, vendo o tempo passar, e a hora de mais uma primavera chegar, sem que eu possa controlar o mundo. Ontem uma caneca minha quebrou, caiu no meu pé, me cortou, sangrei. Na verdade, vejo sangue todos os dias, quando acordo e retiro a minha placa dentária - ou dental. Mas a quebra da caneca me abalou. Chorei. O corte não doeu, o sangue é normal. Tudo de ruim é normal, apesar de o orkut dizer que o pessismismo nunca venceu nenhuma batalha.

Domingo tem prova de concurso. Aqui em Viçosa mesmo. Quero ir embora, mas sem saber pra onde ou mesmo por que, vou ficando, criando raízes absurdas... tentando escrever coisas boas, mas... minha vida é trabalho e o pouco tempo que tenho gasto na net, ou preparando aulas, ou dormindo de tanto cansaço. Cansaço mental, físico, vontade de mandar aluno pro quinto... vai, vai ver se eu estou na esquina!

Cansada, cansaço, tudo se resume a isso. A falta que um lado da minha vida faz... tem um buraco, um vão, uma fresta por onde passa um frio incurável, uma dor latejante, um câncer que se espalha. Eu observo em silêncio ele se espalhar e espero ver no que dá. Quero aprender a atirar.

Tbm isso não sei por que. Tenho que descobrir minhas razões. Ou não.

....