terça-feira, 29 de janeiro de 2013

As (im)possibilidades do amor

Da cor do pecado. Novela global. Reinaldo Gianechinni e Thaís Araújo.
Raça, classe social: A "neguinha" pobre com o branco rico e letrado. Deu certo na novela...

Titanic. 1998, USA. Kate Winslet e Leonardo DiCaprio
Classe social: o artista pobre que tira sorte grande indo viajar num luxuoso navio se envolve com a menininha rica, cansada de ser "pau-mandado" da mãe e da sociedade em geral. Deu certo no filme, isso porque ele acaba morrendo...

Dirty Dancing. filme USA, 1987. Patrick Swayze e Jennifer Grey.
Classe social: Menininha rica passa férias com a família em resort de luxo e cai de amores por professor de dança pobre e sedutor. Deu certo no filme... quer dizer, nem lembro direito rs...

Friends with Benefits. filme USA. Justin Timberlake e Mila Kunis
Amigos: amigos que combinam de dormir juntos eventualmente, sem nenhum compromisso, e acabam fisgados pela vontade de estar compromissados... bom, pelo menos foi isso que li, não assisti o filme. Deu certo no filme... deu?

O Salvador da Pátria, novela global. Lima Duarte e Maitê Proença
O jeca e a letrada, professora e aluno, idade: Jeca começa a frequentar escola e cai de amores pela professora, anos mais nova e mais letrada, que a principio resiste, mas cede ao bronco por sua sensibilidade, simplicidade e doçura. Deu certo na novela...

Os mano, pow, as mina, pá.


Reflito cá com meus botões... será? estou de mãos dadas e reflito, olhando a ponte à nossa frente: será que vai dar? vai caber nós dois? Tem um abismo que nos separa do lado de lá, e tem um mundo de coisas que nos une do lado de cá. Atravessar a ponte significaria prosseguir ou romper? Na sua casa ou na minha? Onde estamos, amor, onde ficaremos, quem somos? São tantas questões que me rondam. Aí você diz "eu te amo" e tudo se cala. Não existe mais nada, ninguém, só nós... mas lá fora, e lá fora, as pessoas, tudo, a sociedade? Ah, já nos condenam, nos olham de soslaio, nos olham estranhando, não sei... e eu me olho e te olho com igual estranhamento, mas um estranhamento estranhamente familiar... Te amo, ponto.