segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Choro


Só quem chora sabe a dor das lágrimas. E todos nós choramos, de uma forma ou de outra. A sanfoninha das músicas da trilha de Amelie Poulain chora, o piano chora. A flauta de Richard Stoltzman chora e toda essa orquestra me toca de um jeito indizível, mergulho no indizível e choro também. 

Essas músicas parecem trilhas sonoras da vida. Pelo menos pra mim quando ouço Comtine d'un autre ete, Le moulin, La dispute, Sur le fil (trilha de Amelie) ou Maid with the flaxen hair (Stoltzman), eu choro porque revivo momentos, porque sinto dores de mágoa, ressentimentos, arrependimentos. Ou porque sinto clara a presença de Deus em minha vida, bastante clara. Aí sou como o profeta Jeremias, conhecido como profeta chorão. Quando Deus chamou, ele argumentou que era muito novo, não ia dar; quando Deus começou a usá-lo e ele viu a miséria do mundo, chorava sem parar e se lamentava pelo povo, tanto é que escreveu um livro exclusivo de Lamentações, que leva esse nome mesmo. Sou Jeremias, sou capaz de sentir as dores do mundo, e isso Deus colocou no ser humano, em maior ou menor grau em cada um. Deus colocou em nós a vontade de relacionamento e a compaixão pelo outro. E ainda me acrescentou a poesia, o que vulnerabiliza o meu espírito ainda mais. Aí eu choro mesmo... 

Fui caminhar e correr hoje na UFV. Pensava desde ontem em fazer isso, uma inquietação danada, tive que ir. Eu ia de manhã, mas deixei pra lá, acabei indo à tarde, depois do trabalho. E que trabalho! Turma de adolescentes em quem não consigo dar jeito: é celular, conversa paralela, quero ir no banheiro e beber água o tempo todo, mesmo. Chaaato isso...

Agora estou deitada escrevendo aqui, depois de ter feito minha oração diária e de ter lembrado de Descartes que, seguindo a lógica, comprovou a existência de Deus. Discurso sobre O método traz a máxima penso, logo existo e também a explicação sobre Deus, bastante interessante, apesar de que a leitura fica um tanto prejudicada pelos periodos longuíssimos, às vezes um parágrafo inteiro é uma frase só. Mas vale a pena.

Vou dormir, estou cansada demais, já chorei demais, só eu e Ele sabemos o quanto é duro fazer certas escolhas. Boa noite!

P.S.: ainda tem chocolate branco :)