terça-feira, 29 de maio de 2012

Disappear


When I think about it
I know that I was never there or even cared
The more I think about it
The less that I was able to share with you
I try to reach for you I, can almost feel you
You're nearly here
And then you disappear
(Disappear, disappear, disappear)
You disappear
(Disappear, disappear, disappear)
Beyoncé - Disappear

Fui a um minicurso na última sexta e foi ótimo. "Linguística Aplicada e Transdisciplinaridade". No início eu estava meio zonza, não acompanhando direito o raciocínio porque tinha saído no dia anterior e voltado às 4 da manhã. O minicurso começou às 9, tive que acordar às 7h, aí já viu né...

Foram levantadas questões bem interessantes sobre língua, educação, etc, etc... eu ia escrever sobre isso com mais antecedência porque aí os fatos estariam mais nítidos na minha cabeça, mas acabei deixando pra depois e agora não lembro bem o que foi ou não dito, não as palavras exatas, mas o contexto de uma forma geral, lembro. Lembro de fatos intermitentes, mas não vem ao caso.

Vem ao caso que ontem chorei. Sim, estava lá pensando no próximo dia 12, ele veio à minha mente - o dia e o último "ele" que me marcou - e ouvindo Beyoncé - a música Disappear é linda!! - e chorei, escrevi outro texto, tentei descobrir um certo email pra mandar tudo pra todo mundo, mas não consegui. Nem no FB... me bloquearam, probably. 

Ontem tive a cara de pau de chamar 4 americanos para assistir nosso ensaio do teatro. Eles gostaram e o rapaz até me add no FB... Eu não odeio africanos nem americanos. Invejo-os. Invejo os que estão aqui, longe de seus países, deparando-se com uma cultura totalmente - ou nem tanto - nova e diferente. Queria eu poder ir na mala deles...Fiquei tão feliz de entender as poucas palavras que disseram os americanos. Me senti menos medíocre por poder me comunicar e menos superior/inferior por me chegar até eles. Só eu me entendo...

Minha mãe foi embora ontem. Tanta coisa aconteceu na última quinta e nem pude dizer. Tem muita coisa que não pude e nem posso dizer. Mas ela sabe, é mãe. Quando ela tava indo, eu nem disse nada, foi só abraço e beijo; não agradeci a bolsa que minha irmã mandou, não disse te amo, não disse me desculpe, senão ia chorar e ela também, e tudo seria sofrimento, não quis fazê-la sofrer nos últimos momentos em Viçosa. Talvez sejam meus últimos momentos também, ou os primeiros de uma nova fase, espero. Amém. Sinto faltas. e, como diz o santo guru FB, "Ultimamente, dormir está sendo a melhor opção", e olha que tenho dormido muito, com facilidade. Bju, bye.

...