Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2012

Preguiça, ainda

Me mandaram esse vídeo, perguntei por que, à toa foi a resposta.  ...
Minha preguiça continua a passos largos. Ou melhor, a passos lentos, como é típico dela.  Acho que cada passo que dou tenho uma decepção diferente, e é tudo pra me fazer parar. Tem certas épocas na vida que parece que tudo está contra, e essa é uma delas pra mim. Meu corpo reage ao estresse: coceiras, dores, espirros, cansaço, sono, tristeza, mau humor repelente de gente.
Tem gente que desistiu de mim. Tem gente que nunca me quis. Tem gente que acha que sou mal-amada e ridícula. Tem gente que casa e não conta. Tem gente que prende os outros pelas pernas e com filhos. Tem gente que acha que eu tenho viagens loucas sobre o mundo. Tem gente que me manda videos pra que eu me levante; que diz que me ama, mas diz que o vídeo foi à toa. Que tem namorada, mas gosta de mim. Ou não. Que gosta de mim mas não gosta, não assume, não quer. Tem gente que vive feliz. Tem gente que acha que ama e é amada. Tem gente que marca a gen…

Preguiça

Tenho preguiça de pensar. Preguiça de falar. Queria muito expor tudo, falar tudo, mas não há ouvidos disponíveis. Cansei, parei. Preguiça eterna. Tentei, mas não há ouvidos, cada um tem os seus próprios problemas e prioridades. Estou quase surtando e não me pergunte por que - a pergunta mais idiota e que me dá mais raiva, ainda que seja a mais importante também.
Vão dizer pra eu procurar terapia, ajuda. Ajuda? Não, não ajuda em nada. Talvez o tanto de doce que tenho comido nos últimos dias me ajude - a ter diabetes. Talvez me salve do sabor amargo da vida. Talvez me salve do modo automático e das lágrimas embutidas. 
Sei que estou viva quando subo o morro de casa e meu coração dispara, suo, a respiração fica ofegante, como em um orgasmo ou em uma paixão. Ou mesmo um ataque cardíaco, que às vezes tenho a impressão de sofrer a qualquer momento.Estou viva quando tenho dor, quando me batem ou eu me machuco, fisica ou emocionalmente.
Preguiça. Preguiça até de chorar, meus olhos andam se…

Stuck in a moment

Hey, I just met you and this is crazy but here's my number so call me, maybe!

Já é tão tarde... acordei hoje às 14h22, pelo menos foi a hora que tava lá quando liguei o celular. Noite de sábado regada a Blues e Jazz - na verdade era mais rock-blues - e mais nada. Olhares e nenhum resultado prático. Eu me senti meio mulher, meio menina, meio masculina, meio adolescente. Anets de sair de casa, ouvia Carly Rae Jepsen, Call me maybe. Bem teen. Ouvi também Hanson, Avril Lavigne, etc. Gosto muito do mundo adolescente, talvez por ter uma turma cheia deles. Tem a música Glad you came também, do The Wanted. Teens em alta agora no mercado americano: Demi Lovato, Selena Gomez, Justin Bieber, etc etc... ou já estou por fora? Acordar tarde me faz pensar que é tarde demais pra certas coisas: para a adolescência, para meninos, para espinhas e dúvidas, para curtir a vida adoidado, pra usar All Star e coisinhas coloridas, pra tanta coisa... Mas estou de alguma forma presa na adolescência, Stuck in a …

Os infelizes

Não basta crer, tem que particpar, ser cristão de verdade. Felizes aqueles que o são.

Infelizes aqueles que crêem e não conseguem praticar plenamente a fé; vêem-se muitas vezes nos apuros do mundo e de si mesmos porque todo ser humano é extremamente traiçoeiro consigo mesmo. Lutamos na verdade contra nós mesmos.

Infelizes aqueles que não amam e pensam amar, pensam ser cristãos, pensam ser bons. Passam a vida no oito ou oitenta: ou estão enclausurados ou na orgia, no Olimpo ou no Hades.

Infelizes os impuros. Aqueles que procuram manter um corpo e mente sãos, mas cedem a primeira tentação que aparece, remoendo-se depois sem rumo, sem saber o que fazer.

Infelizes os que tem sede de vingança. Que mal sabem cometer um crime e deixam digitais por todos os lados, e-mails maldosos, presentes de grego.

Infelizes os artistas, poetas, músicos, dramaturgos, cineastas, dançarinos, que sentem a dor do mundo, ao menos os que tem a alma vulnerável como porcelana. Tudo dói e tudo sofre.

Infelizes tam…

Cegueira

Cega
Eu fico cega pro céu
às vezes volta as costas para o mar
o que vejo é a escuridão
só o fundo da caverna, ainda...
Eu fico cega para o céu,
me volto ainda para o mar
não tenho medo de me humilhar
mas escondo o rosto pra chorar
Não tenho coragem de olhar o céu
mas é do alto que vem a salvação
o alívio para o réu, eu

Mas enfim o meu olhar cria coragem
e o alivio imediato vem ao coração
não mais cegueira, ainda que na solidão
Minha cegueira é essa, obcecada. Faço coisas das quais sei que vou me arrepender, ou ao menos sei serem erradas, mas preciso fazer. Preciso me dar mal, bater a cara, enfiar o pé na jaca, talvez pra sentir que vivo, sentir adrenalina, o coração bater. Meu coração talvez tenha migrado para minha cabeça, deixando meu cérebro sem escolha a não ser tirar umas férias fora de mim. Talvez volte, talvez não. Tudo é escolha e parece que eu faço as mais erradas possíveis, pra posteriormente acertar. Vamos andando, vamos que vamos... boa noite.

Aceito tudo - ou sobre a adrenalina e o tempo

"Ah eu pensei que é indo, caminhando, mas não fui  para um sonho diferente que se realiza e reproduz e pensando fui seguindo num caminho estreito cheio de tombo..."
(Di Melo - "Aceito tudo")
Quando eu tinha 15 anos, por aí, parecia que o tempo não passava, que ficaria eternamente na escola, estudando, estudando e não indo a lugar algum, Mas descobri que isso de estudar a vida inteira existe e leva a muitos lugares, depende-se dos rumos e decisões  serem tomados. Eu nunca fui de tomar decisões. Ia pra escola meio sem saber por que; tinha que ir. Tinha que assistir tv, brincar com o bichinho virtual e com os cães e gatos que tinha na época, tinha que brigar com meus irmãos, tinha que ficar olhando pro horizonte á noite, horizonte esse que eu não via. Tudo que via da minha janela - quarto meu e dos irmãos - eram os barracos de madeira construídos sobre o lixão. Eventualmente via ratos passeando pelos telhados, gatos também. Não via futuro. Não sabia o que viria pela fre…

Dia dos solteiros - falo por mim

"Nobody said it was easy no one ever said it would be so hard... I'm going back to the start"
(The Scientist - Coldplay)

Dia dos solteiros. Imagino todos os solteiros saindo pelas ruas, indo tomar um café. Sozinhos. Cada qual senta em uma mesa e nenhum lugar dá conta de tanta gente... sozinha. Porque cada qual quer uma mesa pra si, já que é seu dia. 
Há aqueles que vão inventar de reunir os amigos pra comemorar o dia. Mentira. Na verdade esperam que os amigos convidem amigos que convidem mais amigos e aí, quem sabe ali no meio, alguém...
Há os corajosos que encaram o dia sozinhos mesmo. Mentira. Na verdade não restou mesmo o que fazer, quem chamar, e são forçados a isso. 
Há os que são solteirões convictos. Mentira. Estão sempre com alguém, mesmo que seja um(a) por dia, disfarçando seu medo da solidão real ou o medo de se entregar e se ferir. 
Há os casados que gostariam de ser solteiros. Mentira. Dependendo de quanto tempo de casados, já se tornaram dependentes do outro.…

Yasa'i

Penso nele enquanto fumo um palito de fósforo, velha mania. Penso nele pela falta incrível que me faz. Talvez porque não teve tempo de se revelar um babaca, feito os outros, ou talvez realmente não o seja. Não foi comigo, pelo contrário.
Penso nele enquanto assisto um clip da Rihanna. Vi esse clip enquanto tomávamos açaí na nossa despedida. O açaí marcou dois momentos cruciais e especiais na minha vida: a minha formatura e a despedida dele. Açaí não é algo que eu possa consumir assim, aleatoriamente. Tem que ter motivo.
Etimologia: "Açaí" e "uaçaí" são oriundos do tupi yasa'i, "fruta que chora", numa alusão ao sumo desprendido pelo seu fruto. "Juçara" provém do tupi yu'sara. "Palmiteiro" e "palmito" são alusões ao seu uso na alimentação humana sob a forma de palmito. "Açaí-do-pará" é uma referência ao estado do Pará, no Brasil. Atualmente, o Pará é o estado que lidera a produção do fruto, com quase 90% do m…

O Segredo da Felicidade

Em entrevista recente ao nosso blog, o Doutor Al Ways Happy falou sobre seu mais recente lançamento, o livro "Osegredo da Felicidade". Para decepção de muitos, o doutor, versado em Filosofia, Psicologia, Psiquiatria, Linguística, Filologia, Literatura das Américas, Física Quântica e Matemática, foi enfático logo no início de seu livro: "Não existe segredo para a felicidade". Confira a entrevista na íntegra logo abaixo.
My Life Is Brilliant - Doutor Al Ways Happy, seu livro é o best-seller do momento. A que se deve esse sucesso?

Dr. Happy - Bom, creio que ao título (risos).

MLIB - Mas logo nas primieras páginas, o Senhor quebra a expectativa...

Dr. - Pois é, por isso estranehi muito a alta vendagem do livro! (risos). Na verdade, quando o escrevi, imaginei que seria mesmo um sucesso, ainda mais pelo título atrativo. Geralmente as pessoas que compram livros assim nem olham bem o conteúdo, levam pra casa a fim de devorar o conteúdo na esperança de aprender um macete pra v…

Oh Miriam... ou sobre assassinatos e pesadelos

Miriam
You know you done me wrong
I’m gonna smile when
You say goodbye
You know you done me wrong
I’m gonna smile when
I take your life
Mmm, mmm, mmm
(Miriam - Norah Jones)

Tive sonhos... e pesadelos, desde cantar no palco do Fernando Sabino até a senhora ensanguentada do filme Quarentena. Vivi também no mundo dos clipes de PitBull e Shakira, Jeniffer Lopez, Rihanna... Beyoncé... é, eu queria ser outra, ou quero. Inconsciente.

Fui a assassina de muitos filmes: Colombiana, Chicago, e até mesmo a doce Norah Jones, que cometeu seus delitos em Miriam, seu novo single (video acima).
Depois acordei cedo e li coisas sobre estética, moda, decoração, psicanálise, grafologia, tradução, fiquei em dúvida sobre que rumo profissional tomar agora. Bom, desde que tenha inglês no meio, estou indo. A grafologia me disse que:
CONFIRA O RESULTADO DE SEU TESTE:ZONAS SUPERIOR, MÉDIA E INFERIOR EQUILIBRADA
Você é uma pessoa que apresante atitudes de superioridade intelectual, um pouco orgulhoso próprio …

Mandala

Numa dessas voltas da vida, apesar da felicidade e alegria, ela ainda temia que ele voltasse. Que ele voltasse quando ela estivesse de mãos dadas com outrem; que o amor voltasse pra ficar e ela não soubesse onde ficaria. Vazia. Aturdida, sem chão. Queria assim a solidão pela espera, por querer lá no fundo a volta dele. Queria, ainda assim, a companhia, mas pensar em magoar o outro não podia. 
Eles eram dois mundos e ela, planeta. Talvez fosse só terra, água, fogo ou ar, se elevava a todos os elementos conforme fosse a necessidade. Com o primeiro mundo, foi fogo, como sempre; escolhia sempre o fogo como carta primeira da manga, era instinto seu. Ele foi água nela, se espalhou todo. Ela aprendeu a ser água nele, mas com seu próprio fogo tornou-se vapor, ar. Aí começou a sonhar, devaneios altos, enquanto ele se tornava terra, o pé no chão. Ele voltou pro próprio mundo e agora era difícil ser terra para ela, mas aprendia. E ele falava do mundo dela com saudade, indicando que podia ter um…

Na base do milagre

E vós com alegria tirareis águas das fontes da salvação. Isaías 12:3
Alegrai-vos sempre no Senhor, e outra vez vos digo, alegrai-vos! (Filipenses 4:4)
Bom, mais uma boa notícia em meio á crise, meu milagroso dinheiro de todo mês reapareceu. Explico: recebi abono do PIS na hora exata, em que mais precisava, e nem estava sabendo que tinha direito ao tal. Vai dizer que Deus não existe? Tudo bem que eu tinha direito, que essa é a epoca de receber e blá-blá-blá, mas creio piamente que foi Ele, maravilhoso e perfeito como sempre. Senti uma alegria tão grande que mal posso me expressar por palavras.. Já pensei em revender coisas, fazer sociedade, fazer isso e aquilo, mas não tenho tino para os negócios, não tenho o menor talento para empreender qualquer coisa e dependo única e exclusivamente dEle. Dos milagres de suas mãos, do seu amor perfeito e da sua grandissíssima misericórdia, porque é por causa dela que não somos consumidos, graças a Deus. Ele é perfeito, Deus forte, maravilhoso conse…

Epifania

Não tenho mais anemia, uma boa notícia no meio da minha crise. Mas continua aí o Omeprazol, o xarope, a pomada, etc, etc. tem a pílula também, tem o dentista, todos os cuidados médicos e chatos que temos que ter de tempos em tempos. Devo ainda ao dentista, devo à Tim, devo ao banco. Devo, não nego, pago assim que puder. Tenho muitas contas e não usei adequadamente meu salário de férias, aí ferra tudo. Preciso me organizar. E me organizarei ainda mais para o próximo passo que darei. Vem aí a realização de um sonho antigo... mal posso me conter, mas prefiro não dizer, o sonho, o ganho, tem a ver com muito e tanto e tudo do que sou eu. Penso nisso e uma felicidade grande me invade, ainda que temporária. 
Estou me sentindo ainda estranha, meio que voando, como se muito tempo já tivesse passado desde que amei, me apaixonei, não sei, como se fizesse muito tempo que eu vivi alguma coisa. Estou vivendo meio que pisando em ovos, como se diz; como que esperando vir uma nova tsunami ou tempesta…

Associações malucas e Origens

"Everybody loves your life, but you"
(Robbie Williams - Advertising Space)
Hoje não tirei o pijama o dia todo, ouvindo rock, postando pedaços de músicas que expressavam meu estado de espírito (de porco, pra variar). Aliás, nasci pra ser porco - não porca. Assim como na atual versão da Malhação, que já vai acabar, conectados, faço associações malucas com números e nomes. No meu caso, nasci no ano do porco no calendário chinês, animal que é símbolo do meu querido Palmeiras. Amo a cor verde. Toda vez que tem sorteio para alguma festa no Sítio das Palmeiras, aqui em Viçosa, eu ganho, fato. Não sei, o universo está realmente conectado. 
Conheci um holandês com quem comentei ter assistido o filme Colombiana. Ele me presenteou com um cartaz do filme, foi embora para seu país. Logo depois conheço um colombiano. Fate? maybe...
Nasci no dia nacional da poesia, 20 de outubro. Descobri isso recentemente. Eu sou poeta e realmente não aprendi a amar, como disse a Cássia Eller. 
Eu saí daq…

Das Perdas

Odeio perdas. Fico extremamente furiosa comigo mesma - ou com a vida - quando perco coisas, objetos. Pessoas. Ou quando não sei onde estão, não admito não saber. Sei onde está tudo e todos no meu coração, na minha vida. Ainda que eu deixe uns de molho, ou indefinidos, ou a chave em outro lugar que não o potinho que designei para tal, eu quero e devo saber e sei seus lugares. Ai quando alguém sai assim, inesperadamente, mostrando ter vida e vontade próprias não direcionadas a mim, eu piro. Eu odeio. Outro dia mesmo escrevi um soneto para umas das últimas perdas que tive. Publiquei no RecantodasLetras e reproduzo aqui:

Odeio
Odeio te perder na minha imaginação Porque eu vou junto com você e sou feliz Em um lugar Que não existe
Odeio as lembranças de você Porque me fazem feliz por um instante E me jogam na realidade De não ter você
Odeio as sensações que tenho com você Sentindo ainda seu abraço e seu beijo Sentindo tanto a sua ausência
Odeio o bem que você me fez Porque me fez dependente do que já pe…

Passa, passado

“O correr da vida embrulha tudo. Ávida é assim, esquenta e esfria, aperta e depois afrouxa, aquieta e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem. O que Deus quer é ver a gente aprendendo a ser capaz de ficar alegre e amar, no meio da alegria. E ainda mais no meio da tristeza. Todo o caminho da gente é resvaloso, mas cair não prejudica demais, a gente levanta, a gente sobe, a gente volta”.

(João Guimarães Rosa em “Grande Sertão Veredas”, 1956).

Não sinto saudades, tenho vontade do futuro, de ir pra frente. Chega de remoer o passado, que não tem jeito mesmo, agora é olhar pra frente, o que ainda há de vir pode estar nas nossas mãos, podemos transformar ainda. O passado não se esquece, está sempre aqui; não quero esquecer nada, é claro, e nem é possível e nem se deve esquecer as origens, tudo. Lembro do que foi bom e do mau também, pra seguir. Se foi bom, imitar tudo; se foi mau, tentar fazer diferente, então. E é tudo tão dificil. Sinto falta de muita coisa: falta de te…