terça-feira, 7 de setembro de 2010

O Pink, o Pink, o Pink e o Cérebro, o Cérebro e o Pink

My Brain is not working yet. it is 11h43 in the morning, and my Brain isn't working well. I just have Pink today.

good day.

Loving Every Minute, baby

Noite passada tive sonhos turbulentos, lembro flashs deles. Acordei hj, fui tomar café cedo. Quando voltava, vi meu Mister Nice Guy. eu ia chegar perto e dizer oi, mas ele fingiu que nao me viu, entrou num carro q paru e desceu pra funarbe. Fiz o que pude, não vou insistir. Acabou. Mais tarde, eu deixei o seguinte recado: "Não ive oportunidade de lhe dar bom dia hj de manhã... BOM DIA!!!". Acabei de olhar, ele apagou.

Fikei o dia todo tentando ligar para Odisseu, mas ele nao atendeu. "Desligou o celular...tá com a outra". Disse meu ex-futuro quase nada, que encontrei ontem. Sai da igreja mais cedo, comprei uma coca (to viciando em coca) e fui pra perto da lagoa. Resolvi passar pelo alojamento masculino, ele tava lá conversando no celular com a namorada (:S). Conversamos um pouco, foi bom falar com alguém pra variar nesse feriado imenso que não acaba, em que me encontro alone e lonely.

Hj eu ava ate a fim de dar uma volta, nenhuma amiga pra chamar ou que se animasse, chamei o ex citado acima, ele disse q tava com preguiça, quase chamei C, mas segurei, pensei em I, mas nao vou insistir, pensei na Cl, mas...melhor nao dar trela pro que eu possa estar sentindo...acaba q sai sozinha, isto é, não saí, apenas fui à cidade comer alguma coisa. Depois de rodar e rodar, comi um x-egg-burguer e uma coca (eita, ó o vício!). Na hora de pagar, ainda peguei dois cigarros.

Vícios. Na sessão da tarde, vai voltar a novela sete pecados (hein?) ah tem a ver... vício memo é com a musica do Lighthouse Family, Loving every minute, ´maravilhosa, não consigo parar de ouvir. Aliás, todas as músicas deles são maravihosas, tem letra de verdade, dizem alguma coisa. A letra dessa fala bem da minha fase atual... eu sempre amo todo minuto, com intensidade; ultimamente, tenho me contido. Já chamei Odisseu de amor, já nos chamamos assim, mas só pq eu preciso disso, preciso dessas coisinhas de relacionamento a qualquer custo...preciso inventá-las, preciso saber que estou a um passo de ter alguma coisa com alguém, mesmo que esse alguém seja tão escorregadio quanto ele.

Haha, novamente cheguei em casa depois do x-egg-burguer, e liguei a tv dessa vez nao tinha DR, mas tinha um casal in love total: Mauro e Diana, trocando akelas jurinhas bregas de amor... pq todo casal apaixonado é brega e sintonizado na sua breguice; todo casal apaixonado eskece do mundo ao seu redor e fica fazendo as caras e bocas mais ridículas possíveis; todo casal apaixonado troca os beijos mais quentes e inocentes, as carícias mais doces e eróticas, os olhares mais amorosos e indecentes...pq todo casal apaixonado está em sintonia com seu próprio sentir. Vendo Diana e Mauro em sua infinita breguice sintonizada, não invejei nem senti algo mais: isso não é pra mim, já decretei. Puento. Entendo profundamente cada um desses sentires, mas sempre que chego perto de algo assim, nao vai adiante.

Nao entendo pq os homens nao se abrem. Queria ser homem por um dia pra estar no meio deles e ouvir as conversas. Queria mesmo saber se falam abobrinhas da gente, se sao tao babacas como se ouve dizer. O problema é que eles não tao nem ai com o que achamos ou deixamos de axar... entao, podemos continuar pensando o pior q eles dão de ombros. E isso me mata. Mata mesmo.

Bom, mas deixa isso pra lá, hj eu to meio dark. Andei lá pelos lados do C, na expectativa tola de vê-lo. E das expectativas tolas vou vivendo, me colocando muitas vezes de fora da situação para não sofrer os danos. Consigo, mas caio sempre dentro da situação de novo quando se trata de C. Eu me apaixonei praticamente por todos com quem fikei (eita! rs...), mas a maior parte passava rápido, batia, ficava um tempo, passava akela dorzinha no peito. Mas com meu ex-futuro quase nada e com C, nossa, muito diferente, pra minha desgraça. tanto sentimento, tanta coisa boa que se foi num sgundo..
aaaaaaaaaah, mas eu nao tenho q ficar remoendo, dio santo, eu nao tenho.  Eu tenho q monografar, é isso. Bye.