Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2013

Sobre 2013

Fiz planos pra 2013 mas isso não dá certo pra mim. Preciso é de um plano de cada vez; se faço uma lista, fico perdida. Até pra seguir a dieta que a nutricionista me passou tá difícil. A dieta é pra manter o peso e o leite, mas pela primeira vez na vida eu queria perder um pouco... estou me sentindo pesada.
Bom, resolvi analisar os planos que fiz pra esse ano, os estão listados aqui do lado no blog. Vejamos:
1. Aprender mais sobre Deus, de Deus: Comecei bem, lia a Bíblia e orava todo dia, mas parei por causa do maior aprendizado que Ele me mandou, a gravidez. Ele derrubou minha torre de babel, mas preciso continuar minha parte como cristã;
2. Aprender sobre mim mesma: Me achei mãe esse ano e o lado maquiavélico que sempre achei que dormia em mim talvez nunca tenha existido. Me emociono com cada gesto da minha pequena. Descobri que as expectativas que criamos sobre as pessoas, inclusive amigos, não serão necessariamente atendidas, feliz ou infelizmente. Descobri também que não sou boa …

The perfect life

Meu presente :)

Natal é sinônimo de família e dessa vez passei longe da minha, ou ao menos longe do meu antigo núcleo familiar: pai, mãe, irmãos e sobrinhos. Foi o primeiro com minha própria família: namorido e filha. Lídia está ainda muito novinha para viajar, ainda mais para SP, tão longe. Íamos até visitar a bisa dela que mora mais perto, mas o clima não colaborou. Enfim, ficamos e fizemos um almoço de natal com arroz, frango assado, salpicão e lasanha, além do pavê de sobremesa. Nossos presentes vieram antes, dois celulares. Senti falta - como o foi a vida toda - de uma árvore de natal. Eis um plano para 2014 ... Falta também fez a ceia que sempre acontece na casa da minha irmã.

2013 foi um ano bom. Fiquei muito isolada do mundo por conta da resolução que tomei no fim de 2012, mas tudo bem, não me arrependo, até porque a decisão fez com que minha vida sentimental desse um salto que culminou com o nascimento da minha baby. Ser mãe, uma nova etapa que continua em 2014. Ainda esto…

Minha pequena

Todo dia ela faz tudo sempre igual, me sacode às seis horas da manhã...
Cotidiano - Chico Buarque
Minha filha é linda. Olho pra ela e mal acredito que saiu de mim, tanto pela beleza quanto por minha mentalidade, até ontem eu me debatia num mar de paixões e sem perspectiva de futuro... acho que essa perspectiva ainda não está muito clara, acho que projetei tudo nela, minha vida é ela. Ao menos não estou mais enterrada no passado. Acordo três vezes na madruga, alimento-a, cuido da casa, estou um lixo e feliz. Olho pra ela e me emociono, não a mereço e peço a Deus todos os dias por sua vida.  É tudo tão pequeno nela mas sinto algo gigantesco que não cabe em mim, sai em lágrimas. Às vezes me pego chorando emocionada como se tivesse acabado de parir. É tudo o que dizem, muito inexplicável.
Digo que estou um lixo porque mal me cuido, já teve dia de dormir sem banho. Acordo com o cabelo desgrenhado e assim fico o dia todo. A coluna doendo demais por dar banho na Lídia e colocá-la no berço, al…

Vida segue

It's hard But you know it's worth the fight 'Cause you know you've got the truth on your side When the accusations fly Hold tight! Don't be afraid of what they'll say Who cares what cowards think? Anyway, They will understand one day One day
Les Jours Tristes - Yann Tiersen
Fui à nutricionista hoje, estou com 71kg. Antes da gravidez eu estava com 67 e cheguei ao final com 79, e tudo indica que estou bem. Não fiquei gorda porque sou alta e a barriga só estava bem visível lá pelo oitavo mês. Agora que tenho a bebê nos braços, a barriga ficou, um pneuzinho. Pelo menos já estou usando jeans novamente, só um mais apertado que ainda não fecha. A linha na barriga também permanece.
Gostaria de dizer que as dores passam assim que o bebê nasce, mas não é bem assim. Claro, dá um alívio enorme nessa hora, mas aí tem os pontos que a gente leva lá embaixo. Quando voltei pro quarto no hospital, estava bem, me movimentando normalmente ao contrário das outras três mães …

O parto é punk :)

A palavra punk sempre me remete à rebeldia, coisas e pessoas fora do convencional, com aparência ... punk mesmo. Me lembro de um seriado/desenho em que a protagonista chamava-se exatamente Punk, a levada da breca - era o título. E no dia 12 desse mês não consegui achar palavra melhor para descrever meu parto: foi punk, ponto. Apesar de tudo que passei, continuo defendendo o parto dito normal, ou vaginal. Eu até partiria para um parto humanizado se tivesse me preparado desde o início, mas não deu. Tive o que ouso chamar de parto semi-humanizado: todo o corpo médico me tratou com profissionalismo típico, aquela coisa meio distante, mas apropriada. Enfim, fui bem tratada no geral. O que vou relatar talvez tenha meu típico tom pessimista, mas sem intenção de assustar. A gente sobrevive e depois se sente preparada pra qualquer coisa na vida. No dia 11 acordei sentindo umas dores. Como tinha consulta marcada, fui tranquilamente até o posto. Após ser examinada, voltei pra casa sabendo esta…