domingo, 20 de fevereiro de 2011

Chega de chorar a morte da bezerra...

Eu só ouço, só acordo quando é Ele que fala comigo, e assim foi hoje:
"Deleita-te também no SENHOR, e te concederá os desejos do teu coração". (Salmo 37:4)delitar-se, confiar. faltava-me confiança nEle. E como eu pude me eskecer dEle nesse momento dificil da minha vida? Talvez porque eu monstrue demais os meus problemas, não que não sejam monstros, mas as vezes a gene da importância extrema a coisas que na verdae sim, são importantes, mas não a ponto de requerer tanta preocupação.

"Quem é Deus semelhante a ti, que perdoa a iniqüidade, e que passa por cima da rebelião do restante da sua herança? Ele não retém a sua ira para sempre, porque tem prazer na sua benignidade." (Mq 7:18) outra boa palavra que acabei de ver, e verdadeira, amém.

O pastor nos ensinou uma oração esses dias, que pretendo repetir. E pedir confiança a Ele, sabedoria, porque "se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente, e o não lança em rosto, e ser-lhe-á dada." (Tiago 1:5). Eu preciso. de sabedoria, e de confiar nEle, e descansar e esperar. nem no sono eu tava conseguindo descansar. Mas agora eu vou, no nome dEle, amém.

 P.s. : mudo bruscamente de opinião, não? rsrs...this is me, love or hate. Bye.

Funeral

Eu morri. Mas aí continuava a conversar comigo
num claro vazio, abrigo
de mim mesma:
- ei, levanta daí, tem aula pra preparar, roupa pra lavar, coisas a estudar, o trabalho encomendado a fazer...
e minha cabeça girava na exatidão do tempo mudo:
- tenho nada não...foi tudo isso que me matou...
e eu calava
enquanto eu mesma mim lá dentro falava
e eu nada ouvia
como quando estive com ele, ah ele!
eu somente ouvia a voz dele, os lábios se movendo, mas não ouvia
o que falava
nada
não queria ouvir
foi assim, um encontro casual
aí depois disso morri assim de repente
eu disse a mim mesma mim aki dentro q tinha q ser enterrada
mas ela não acreditava na minha morte:
- Rebecca, levanta..
- só tem um "c"...
- ok, REBECA, levanta... tudo que vou falar é clichê, mas você sabe que clichês, por mais chatos que sejam e inoportunos, escondem sua verdade... a vida continua...
- por isso eu a odeio... ela continua mesmo se eu não quiser continuar...e pior, a vida dele continua normalmente sem mim... ele disse que eu ia achar muito bom na hora e...não...
- levanta, vc já está delirando...
Tentei por os pensamentos em ordem pq Rebeca, eu, não ia me deixar:
- tá, só deixa eu falar... antes de eu ir embora nakele dia que o encontrei, foi assim mesmo: ele me disse que eu ia achar muito bom na hora, mas que depois...ai, quem é ele pra se preocupar com o meu depois? as lágrimas e o sofrimento são só meus, pelo menos isso posso chamar de meu, pq ele nao me deixa sofrer mais um bocado e realiza meu sonho frustrado??
- você ainda quer akela noite...
- você mais do que ninguém sabe o quanto eu desejo não akela noite, mas uma noite agora com ele...vc sabe como fico quando deito, só pensamentos vãos...vc viu o que eu fiz, né? liguei para A, B, C, D, E ontem à noite, e inclusive pra ele. Uma coisa estranha aconteceu...
- é, eu sei, seu celular tava chamando, mesmo sem ligar a cobrar e sem crédito...
- não é estranho? esse celular está comigo, pactuado. Ele sempre faz disso nesses momentos, me ajuda. 
- mas nenhum deles atendeu ne? 
- vc sabe que não...
- quero que vc diga... é só eu mesma que te ouço
- você, ou eu, é meu bem e meu mal
- seu maior bem, minha cara: você mesma.
   Aí ela sumiu por um tempo. E eu vim pra cá, relatar tudo. Querendo ouvir musica de enterro, porque sim, eu já morri.