sábado, 15 de junho de 2013

A mulher de trinta - parte II


"Here comes the sun,
here comes the sun
and I say
it's all right..."

(The Beatles - Here comes the sun)

Grávida. Saí do consultório com os olhos marejados e ainda tive que ir lá no balcão marcar consulta com a nutricionista. "gestante né?" a moça perguntou. Fiz que sim com a cabeça, mal acreditando no que estava "falando". Ah, vai, ainda estou dormindo, daqui a pouco vou acordar e tudo volta ao normal. Mas está tudo normal! A vida segue seu curso. Fiquei com cara de bunda pela rua, chorosa, até chegar em casa, isso agora essa semana, segunda dia 10. Eu nem ia contar pra ninguém, vai que é falso, que a médica errou, que não é isso, que é câncer de colo do útero... cruzes, eu desejando antes uma doença do que um filho, mas a regra é contrária. Mas o susto foi por vários motivos: não estamos casados; Bruno está desempregado; eu ganho mal e moro em república; queria ainda esse ano, por milagre, viajar para o exterior; estou estudando pra um concurso, grávida pode tomar posse? - descobri já que sim... enfim, uma série de coisas, empecilhos, dificuldades. E como as pessoas iriam receber a notícia? Sim, sempre me importei com a opinião alheia mas até agora a acolhida foi boa. Se estão contra ou falando, é por trás, sem ambiguidades rsrs...

Fui pra casa rápido, choramingando ainda. Havia mudanças físicas sim, sutis mas perceptíveis, eu que não quis enxergar antes. Seios, barriga, a vontade de urinar muito frequente, a sensibilidade emocional, eu estava chorando vendo comercial de margarina (estou exagerando, mas estava meio isso...). Tomei banho, relaxei um pouco. Bruno chegou e eu estava com cara de choro ou de noite mal dormida, com os olhos menores ainda dos que já tenho. "Ei, não quero ver você com essa carinha!" ele disse, me abraçando. Nos dias que estão seguindo, estamos agora mais felizes. No dia dos namorados, que foi meu primeiro com namorado, também foi o primeiro com bebê -  e o dia das mães também, só que eu não sabia - saímos pra comer uma pizza e tiramos fotos sem esconder nada. Minha barriga apareceu até grande, mais porque eu estava comendo e a barriga sempre incha nesse caso. E, falando em comer, ontem comi algo que não me fez bem, ai hoje parecia que eu tinha levado uma surra, diarreia, e Bruno com febre, fomos ao hospital, a maior preocupação com o bebê, agora tudo está bem. 

Uma avalanche de mudanças está vindo sobre as nossas vidas. Vou fazer 30 anos com uns 8 meses de gestação. O primeiro 12 de junho, dia das mães, primeiro filho... Dá medo, preocupação. Qualquer coisa que sinto, agora é nele/a que eu penso, com quem me preocupo. Tudo ficou completamente secundário. Passado já nem tem mais sentido, o que conta é o que sou e como vou ser daqui pra frente. Não que eu não seja mais a Rebeca de antes, rancorosa, melancólica, depressiva, melodramática; mas deixei isso de lado agora, não posso mais ser eu, tenho que me reinventar. Tenho que ser melhor por ele/a e isso está vindo naturalmente também. São mudanças demais e nem sei como estou me sentindo, ainda caindo a ficha, ainda, ainda, e ainda... But I believe that every little thing is gonna be alright. Bye!