Pular para o conteúdo principal

A mulher de trinta - parte II


"Here comes the sun,
here comes the sun
and I say
it's all right..."

(The Beatles - Here comes the sun)

Grávida. Saí do consultório com os olhos marejados e ainda tive que ir lá no balcão marcar consulta com a nutricionista. "gestante né?" a moça perguntou. Fiz que sim com a cabeça, mal acreditando no que estava "falando". Ah, vai, ainda estou dormindo, daqui a pouco vou acordar e tudo volta ao normal. Mas está tudo normal! A vida segue seu curso. Fiquei com cara de bunda pela rua, chorosa, até chegar em casa, isso agora essa semana, segunda dia 10. Eu nem ia contar pra ninguém, vai que é falso, que a médica errou, que não é isso, que é câncer de colo do útero... cruzes, eu desejando antes uma doença do que um filho, mas a regra é contrária. Mas o susto foi por vários motivos: não estamos casados; Bruno está desempregado; eu ganho mal e moro em república; queria ainda esse ano, por milagre, viajar para o exterior; estou estudando pra um concurso, grávida pode tomar posse? - descobri já que sim... enfim, uma série de coisas, empecilhos, dificuldades. E como as pessoas iriam receber a notícia? Sim, sempre me importei com a opinião alheia mas até agora a acolhida foi boa. Se estão contra ou falando, é por trás, sem ambiguidades rsrs...

Fui pra casa rápido, choramingando ainda. Havia mudanças físicas sim, sutis mas perceptíveis, eu que não quis enxergar antes. Seios, barriga, a vontade de urinar muito frequente, a sensibilidade emocional, eu estava chorando vendo comercial de margarina (estou exagerando, mas estava meio isso...). Tomei banho, relaxei um pouco. Bruno chegou e eu estava com cara de choro ou de noite mal dormida, com os olhos menores ainda dos que já tenho. "Ei, não quero ver você com essa carinha!" ele disse, me abraçando. Nos dias que estão seguindo, estamos agora mais felizes. No dia dos namorados, que foi meu primeiro com namorado, também foi o primeiro com bebê -  e o dia das mães também, só que eu não sabia - saímos pra comer uma pizza e tiramos fotos sem esconder nada. Minha barriga apareceu até grande, mais porque eu estava comendo e a barriga sempre incha nesse caso. E, falando em comer, ontem comi algo que não me fez bem, ai hoje parecia que eu tinha levado uma surra, diarreia, e Bruno com febre, fomos ao hospital, a maior preocupação com o bebê, agora tudo está bem. 

Uma avalanche de mudanças está vindo sobre as nossas vidas. Vou fazer 30 anos com uns 8 meses de gestação. O primeiro 12 de junho, dia das mães, primeiro filho... Dá medo, preocupação. Qualquer coisa que sinto, agora é nele/a que eu penso, com quem me preocupo. Tudo ficou completamente secundário. Passado já nem tem mais sentido, o que conta é o que sou e como vou ser daqui pra frente. Não que eu não seja mais a Rebeca de antes, rancorosa, melancólica, depressiva, melodramática; mas deixei isso de lado agora, não posso mais ser eu, tenho que me reinventar. Tenho que ser melhor por ele/a e isso está vindo naturalmente também. São mudanças demais e nem sei como estou me sentindo, ainda caindo a ficha, ainda, ainda, e ainda... But I believe that every little thing is gonna be alright. Bye!


Comentários

Nancie Flor disse…
Não é à toa q tua ficha ainda não caiu, é mta informação pra absorver assim, de uma hora pra outra.
Mas q bom q vcs estão se apoiando e tentando acertar as coisas!
Uma mudança de vida tão radical assim, não sei como eu enfrentaria. Não quero, mas tenho medo do novo, do desconhecido. Só q tô lutando contra isso.
E no seu caso é normal ficar ansiosa, apreensiva, pois vc está andando por territórios q nunca foi antes.

Espero que tudo se acerte na sua vida e do seu namorado, e que esse bebê que vem por aí tenha a melhor vida q poderia ter :)

bjs da Flor~*

bipo-analisando.blogspot.com.br
Eilan disse…
Parabéns pelo baby, querida. Deve demorar um pouco pra ficha cair. Mas que bom que estás recebendo todo apoio.

bjos!

Eilan

borderline-girl.blogspot.com

Postagens mais visitadas deste blog

A fase do não

Lídia tem me dito muito não ultimamente. E haja paciência para lidar com isso! Uma mulher que trabalha, tem casa, marido e uma filhinha pequena realmente tem problemas com ser paciente. Tudo que envolve ser uma boa mãe fica ameaçado quando não se pode dedicar-se à criança integralmente. E toda mãe tem, de dois, um dos sonhos: poder dedicar-se integralmente ao seu rebento ou sair para trabalhar sem sentir-se culpada. O primeiro ainda é possível de conseguir para algumas afortunadas; já o segundo... Bem vinda ao mundo da maternidade!

Bom, os nãos da Lídia só não são mais problemáticos porque sua alegria impera e nos contagia. Ainda bem que já estou de "férias" (duas semaninhas de julho) e posso acompanhar melhor a pequena com toda sua cantoria, obra da escolinha e dos videos da galinha pintadinha. Além da galinácea, no menu temos Peppa Pig, O show da Luna, Mundo Disney e por aí vai. Na festa da família na escolinha, a professora bem que tentou fazer os pequenos falarem os ver…

Personas

O top virou peça de dormir. O shortinho de academia, bem, uso em casa mesmo. A disposição pra levantar de manhã cedo e ir caminhar depois de colocar a filhotinha na van se foi, preciso dormir mais, obra do cansaço. Qualquer roupa tá bom. Me arrumar? Quando dá. Se der, deu, se não der, paciência.

Em pleno dia do rock, o dia foi pauleira mesmo. Muita prova de recuperação, aluno enchendo por causa de pontos, ter que manter a todo custo o aluno em sala de aula fazendo alguma coisa, ufs! Conselho de classe e entrega de notas foram pra agosto, thanks God! Mas o dia deixou suas marcas. Uma forte dor de cabeça me tomou desde cedo, tomei um remédio - sim, automediquei-me - e passou, mas me deixou um tanto ligada o comprimido marrom que contém cafeína.

Não tenho tempo para mim, mas tento. Estou fazendo um curso online de musicoterapia e a música é minha melhor terapia. canto mal, mas espanta mesmo os males! Não é fácil conciliar todas as personas: mulher, mãe, professora, esposa, dona de casa,…

Primeira postagem 2016

Nem me dei conta de que hoje foi sábado. Os dias aqui, para mim, passam como se fosse uma coisa só: todo dia, "nada" pra fazer - ócio criativo, talvez, apesar de que não tenho criado nada. Mas tenho visto e lido de um tudo: muitos filmes (Império, Transcendence, Mad Max, etc) e alguns livros (Conto de Natal, de Charles Dickens e sobretudo a Bíblia). Ganhei a Bíblia da Mulher e tenho me alimentado bem dela.
esqueci de pegar foto no face
Viajar pra casa dos pais é voltar ao passado infantil. É bom e mau ao mesmo tempo, nos deparamos sempre com algumas mágoas, algumas falhas, alguns concertos. Certas relações a gente não entende porque é do outro; briga, chora, grita, se enraivece e, por fim - maturidade! - aceita e toca o barco.
Tem chovido bem em Sampa. Hoje a água caiu mesmo. Minha mãe e irmã viajaram pra Goiás. E eu cá estou com a minha moreninha, esperando a boa vontade do governo estadual pra voltar pra Bh. Na verdade faremos uma ponte Viçosa-BH. É bom viajar a sós, só co…