Pular para o conteúdo principal

Estranhamento

Hoje o dia foi todo estranho: almocei pelo segundo dia consecutivo no RU e tudo bem, mas na hora da janta, fui sozinha e estranhei demais: o que eu to fazendo comendo ainda no RU? ainda dependendo da UFV? Depois, ás 20h30 fui pra aula... aula?? eu, formada, no meio do pessoal do terceiro periodo, ainda nakela animação boba de calouro, e eu lá, putz...foi muito estranho, como se eu tivesse voltado no tempo, regredido... como se eu estivesse atrasada, mas atrasos são comuns na minha vida: aos 12, 13, as menininhas da minha sala comentavbam sobre sua mestruação, e eu... tendo q envergonhadamente dizer q eu ainda não tinha ficado... só aos 14, no dia do niver do meu hermano mais novo. Depois comecei a trabalhar lá depois dos 18, quando os meus colegas do mesmo nivel social ferrado já trabalhavam bem desde os 10 ou 15. Aí veio a universidade aos 23... eu nunca reclamei, mas esse retrocesso que senti hoje foi bastante ruim. Senti o quanto preciso sair de Viçosa, ainda que por alguns dias, como farei agora nesse feriado de carnaval...e depois, preciso urgentemente do meu intercâmbio, pra ir embora de vez. E quando ritornare ao Brasil, não sei que rumo seguirei, mas já são outros quinhentos.

Tenho vivido dias sufocantes e hoje me estressei demais com um telefone do meu chefe. Mais uma turma de inglês, agora estou com onze!! Acho meio abusivo esse negócio, porque eu sou a única professora. Ta certo que vou ganhar mais, mas não quero mais trabalho, não mesmo. E ainda mais crianças, ai meu Deus, estou muito sem chão.

Sem chão e coração... quanto mais o tempo passa, mais eu pareço não ligar... depois de tanto se machucar, a gente acaba aprendendo a machucar também, e eu temo que esteja machucando muito quem não merece com a desculpa da sinceridade, assim como já me fizeram. Tudo cansa, tanto amar demais quanto insistir demais em algo que não vai. Não vai e pronto, porque o mundo não gira em torno do nosso umbigo e não está aí pra realizar todos os nossos desejos egocêntricos. É assim que é. Cada pessoa tem sua vontade e sua verdade. E quando há a vontade mútua, MÚTUA, de construir algo em conjunto, em CONJUNTO, as circunstâncias se adaptam ao que queremos, e nós, na verdade, é que sutil e inconscientemente nos adaptamos ao outro e fazemos acontecer porque queremos, QUEREMOS, NO PLURAL, OS DOIS.

Eu não tive esse encontro e, como disse antes, temo estar cada vez mais longe disso por causa das feridas abertas. A gente tem que ir no médico, porque colocar gaze por cima e disfarçar não adianta. Tem que expor, limpar, doer e sangrar bem até curar de vez. O que seria extamente ir ao médico eu não sei. Mas acho que já fui: pode ser se expor pro outro, falar e não calar, mostrar a sua verdae, mostrar você, mostrar a que veio, mesmo sabendo que o outro não acatará a sua verdade, ou a sua vontade.

É, hoje é realmente, ou foi, o dia do estranho. estranhamento inclusive disso tudo que acabo de falar, porque meo que vai contra algumas coisas que penso... o ser humano, sempre em luta consigo mesmo. É o Romantismo. Ah, por falar em Romantismo, hoje foi minha primeira aula, e aí até a professora virou pra mim ao entrar na sala e disse: "você aqui?" "é..." "optativa?" 'não, complementação..." "ah, sim, vc formou neh?" "é...".
É, eu ainda aqui...o que estou fazendo aqui? I ask myself. O que, Rebeca? estou atrás dessa resposta.

Às vezes sinto a música me chamar. Porque quando estou assim, a melhor coisa é cantar, cantar alto, apesar de que minhas chances de fazer isso são poucas. E mal eu não canto não. Seria um outro caminho no qual nunca me arrisquei, e talvez nunca o faça. É coisa minha.

Eu preciso voltar a confiar nEle, mais ainda. Às vezes me esqueço dEle, e isso não é nada bom. "Deleita-te no Senhor teu Deus, e ele concederá o que deseja o teu coração". Amém.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A fase do não

Lídia tem me dito muito não ultimamente. E haja paciência para lidar com isso! Uma mulher que trabalha, tem casa, marido e uma filhinha pequena realmente tem problemas com ser paciente. Tudo que envolve ser uma boa mãe fica ameaçado quando não se pode dedicar-se à criança integralmente. E toda mãe tem, de dois, um dos sonhos: poder dedicar-se integralmente ao seu rebento ou sair para trabalhar sem sentir-se culpada. O primeiro ainda é possível de conseguir para algumas afortunadas; já o segundo... Bem vinda ao mundo da maternidade!

Bom, os nãos da Lídia só não são mais problemáticos porque sua alegria impera e nos contagia. Ainda bem que já estou de "férias" (duas semaninhas de julho) e posso acompanhar melhor a pequena com toda sua cantoria, obra da escolinha e dos videos da galinha pintadinha. Além da galinácea, no menu temos Peppa Pig, O show da Luna, Mundo Disney e por aí vai. Na festa da família na escolinha, a professora bem que tentou fazer os pequenos falarem os ver…

Personas

O top virou peça de dormir. O shortinho de academia, bem, uso em casa mesmo. A disposição pra levantar de manhã cedo e ir caminhar depois de colocar a filhotinha na van se foi, preciso dormir mais, obra do cansaço. Qualquer roupa tá bom. Me arrumar? Quando dá. Se der, deu, se não der, paciência.

Em pleno dia do rock, o dia foi pauleira mesmo. Muita prova de recuperação, aluno enchendo por causa de pontos, ter que manter a todo custo o aluno em sala de aula fazendo alguma coisa, ufs! Conselho de classe e entrega de notas foram pra agosto, thanks God! Mas o dia deixou suas marcas. Uma forte dor de cabeça me tomou desde cedo, tomei um remédio - sim, automediquei-me - e passou, mas me deixou um tanto ligada o comprimido marrom que contém cafeína.

Não tenho tempo para mim, mas tento. Estou fazendo um curso online de musicoterapia e a música é minha melhor terapia. canto mal, mas espanta mesmo os males! Não é fácil conciliar todas as personas: mulher, mãe, professora, esposa, dona de casa,…

Primeira postagem 2016

Nem me dei conta de que hoje foi sábado. Os dias aqui, para mim, passam como se fosse uma coisa só: todo dia, "nada" pra fazer - ócio criativo, talvez, apesar de que não tenho criado nada. Mas tenho visto e lido de um tudo: muitos filmes (Império, Transcendence, Mad Max, etc) e alguns livros (Conto de Natal, de Charles Dickens e sobretudo a Bíblia). Ganhei a Bíblia da Mulher e tenho me alimentado bem dela.
esqueci de pegar foto no face
Viajar pra casa dos pais é voltar ao passado infantil. É bom e mau ao mesmo tempo, nos deparamos sempre com algumas mágoas, algumas falhas, alguns concertos. Certas relações a gente não entende porque é do outro; briga, chora, grita, se enraivece e, por fim - maturidade! - aceita e toca o barco.
Tem chovido bem em Sampa. Hoje a água caiu mesmo. Minha mãe e irmã viajaram pra Goiás. E eu cá estou com a minha moreninha, esperando a boa vontade do governo estadual pra voltar pra Bh. Na verdade faremos uma ponte Viçosa-BH. É bom viajar a sós, só co…