Pular para o conteúdo principal

cigarretes and alcoohol part II - the discovery

ois...

ontem à noite Orloff, 51, suco de maracujá, suco de tangerina light, eu, amigos e ele, C.


Sentimentos...paixão, desejo, tanto desejo...it's dangerous, ele disse. Envolvimento....ele saiu lá de *** especialmente pra me ver, fez isso mesmo, e me disse isso algumas vezes, acrescentando que isso nao era bom...e eu escondi meu rosto no pio dele, não querendo que ele levasse esse pensamento adiante..."Nos encontramos á noite, passeamos por aí..." passeamos, bebemos, andamos por aí...amor, muito amor, desejo...tudo foi revelado na noite de ontem, a pior e melhor da minha vida. I love you, te amo, foram frases constantes...mas sair fora e no feelings tbm...axu q agora ele quer ficar só, nao me respondeu o bom dia q dei pelo msn...minhas lagrimas não páram desde ontem...chorei na frente  dele, chorei por tanta coisa, por ele me falar tudo akilo, tudo de especial que eu sou na vida dele, por saber que talvez não nos vejamos mais, por saber que ele ssente o memo que eu : te amo, te amo...
 - he just answered me - verything is all right, at least for while... -

Liguei o radio, ouvindo musicas romanticas e uma dels tinha o "para viver um grande amor" de Vinicius de Moraes. reproduzo aki:



"Para viver um grande amor, preciso é muita concentração e muito siso, muita seriedade e pouco riso — para viver um grande amor.
Para viver um grande amor, mister é ser um homem de uma só mulher; pois ser de muitas, poxa! é de colher... — não tem nenhum valor.
Para viver um grande amor, primeiro é preciso sagrar-se cavalheiro e ser de sua dama por inteiro — seja lá como for. Há que fazer do corpo uma morada onde clausure-se a mulher amada e postar-se de fora com uma espada — para viver um grande amor.
Para viver um grande amor, vos digo, é preciso atenção como o "velho amigo", que porque é só vos quer sempre consigo para iludir o grande amor. É preciso muitíssimo cuidado com quem quer que não esteja apaixonado, pois quem não está, está sempre preparado pra chatear o grande amor.
Para viver um amor, na realidade, há que compenetrar-se da verdade de que não existe amor sem fidelidade — para viver um grande amor. Pois quem trai seu amor por vanidade é um desconhecedor da liberdade, dessa imensa, indizível liberdade que traz um só amor.
Para viver um grande amor, il faut além de fiel, ser bem conhecedor de arte culinária e de judô — para viver um grande amor.
Para viver um grande amor perfeito, não basta ser apenas bom sujeito; é preciso também ter muito peito — peito de remador. É preciso olhar sempre a bem-amada como a sua primeira namorada e sua viúva também, amortalhada no seu finado amor.
É muito necessário ter em vista um crédito de rosas no florista — muito mais, muito mais que na modista! — para aprazer ao grande amor. Pois do que o grande amor quer saber mesmo, é de amor, é de amor, de amor a esmo; depois, um tutuzinho com torresmo conta ponto a favor...
Conta ponto saber fazer coisinhas: ovos mexidos, camarões, sopinhas, molhos, strogonoffs — comidinhas para depois do amor. E o que há de melhor que ir pra cozinha e preparar com amor uma galinha com uma rica e gostosa farofinha, para o seu grande amor?
Para viver um grande amor é muito, muito importante viver sempre junto e até ser, se possível, um só defunto — pra não morrer de dor. É preciso um cuidado permanente não só com o corpo mas também com a mente, pois qualquer "baixo" seu, a amada sente — e esfria um pouco o amor. Há que ser bem cortês sem cortesia; doce e conciliador sem covardia; saber ganhar dinheiro com poesia — para viver um grande amor.
É preciso saber tomar uísque (com o mau bebedor nunca se arrisque!) e ser impermeável ao diz-que-diz-que — que não quer nada com o amor.
Mas tudo isso não adianta nada, se nesta selva oscura e desvairada não se souber achar a bem-amada — para viver um grande amor"

Ele me achou. Eu o achei. Nos encontramos.. Ele, por pudores comigo, por não querer fazer "merda" comigo, como foi nos outros relacionamentos, não quer me assuir, não quer nos assumir, não quer ser meu.
Eu já sou dele. Ele já é meu. Nos pertencemos e no entanto, não seremos um...ontem durmimos juntos e, apesar de o amor não ter se completado, nos amamos, nos amamos muito e intensamente, competamente entregues um ao outro.
queria passar o dia de hj todo com vc...eu tbm, amor, eu tbm. entao fica, fica. Ele quer od ia comigo. Teremos o dia, meu amor, teremos o nosso dia, ainda que seja despedida, ainda que seja uma unica noite de amor, será de amor, será de amor verdadeiro. "You're just too good to be true, can't take my eyes out of you". "vc é 100% especial pra mim..tá na hora de vc acordar e ver isso, ver seu valor". Palavras que sairam da boca dele, poderosas palavras. "ver seu valor nao importa se esteja comigo ou qualquer outro..." e eu pensando, não, não, não quero outro, amor, quero só vc, só vc pra mim, te amo".
 
O céu amanheceu tristonho, apesar da previsão de que não irá chover...chove céu, chora comigo...e lava minha alma, refresca meus pensamentos, me dá vida, direção, me dá o meu amor por inteiro.
 
sao duas partes, amor, cooperando, construindo tudo. Preciso de vc by my side, always. Frases in inglês foram ditas, "intimidades, brincadeiras só a gente entende...". Meu Deus, meu romenatismo nao se foi de todo...estou viva novamente, tão viva...tantos poemas já escrevi outro dia...em outra oportunidade, postarei-os aki.
vou tentar ligar pra mami de novo (dia ds mães hj!!!) e ficar pensando no meu novo e dileto amor o dia todo, enquanto ele tenta nao pensar jogando games com os amigos...Bye.

Comentários

Amanda... disse…
Ai amiga...o que fazer??
Por que não escrever um email de duas páginas? declarando-se subliminarmente??
(nós fazemos Letras!! We have the power...)
Continue linda e amando muito...e sábado, já sabe, né?
Beber, cair...levantar...e enfiar o pé na jaca, parte II!
Rebeca disse…
ai ai sei naum Amanda! ele vai e disse q quer ficar lá com a galera ele vai pra curtir e num quer ficar preso a mim...estamos na mesma situação, somos apenas dois campos de aterrisagem se é q vc me entende...
Amanda... disse…
eu sei....hehe.

Postagens mais visitadas deste blog

H. Pylori

A partir de hoje, se a grana deixar, minha dieta será essa aqui. Descobri, indo hoje ao médico, que tenho uma bactéria no estômago, na verdade uma bactéria comum que muita gente tem, mas que pode ou não se manifestar pro mal. É claro que no meu caso ela fez questão de ser do mal e se manifestar. Eu já tinha cortado bebidas alcoólicas, café e refrigerante, agora só falta remover o estômago mesmo. Sim, porque comer só frutas (não cítricas), legumes e vegetais sempre refogados, lembrar que isso ou aquilo tem gordura ou ataca o estômago, bom, é coisa de nutricionista, ou de gente antenada demais no que come. Cortar frituras também, que são superiormente mais saborosas que coisas cozidas, mas tudo bem. E pensar que tem gente se acabando no torresmo com cachaça sem nada lhes acontecer... Mais um capítulo da injustiça do universo contra mim. A vida sem sabor.
Duzentos mil atrasos hoje e o preço do remédio pra matar a bactéria me fizeram chorar de raiva e tristeza. Pergunto, como sempre, por…

A solidão do professor

Pouco se fala sobre um sentimento que por certo atinge o professor: a solidão. Fala-se em valorizar o profissional, em melhorar salários, em aperfeiçoar a formação, capacitar sempre mais. Não se lembra que é uma profissão que precisa de cuidado psicológico. Você briga com e contra os alunos muitas vezes. Você tenta abrir suas mentes para o novo, o velho, fazer as conexões, entender, aprender. E tem hora que parece que a gente desiste. Que quando vem um comentário altamente crítico ao seu fazer, desmoronamos. Poxa, tanto esforço pra nada!? A falta de retorno positivo, de um elogio, um abono, uma promoção é deprimente. Desgastante. Falta retorno do aluno também. Pelas provas, nada sabemos. Não conseguimos tampouco estabelecer uma relação ais próxima com cada aluno. Nenhum deles vem e diz, "nossa professor, aprendi tanto na aula de hoje!" (pode ser que algum faça, na faculdade talvez). A gente tem que advinhar as dúvidas, o que poderia ser mais dificil ou não, e segue o ritmo …

Inutilidade pública - a história de Benê

O que é ser (in)útil?


Benê se sentia inútil. Vivendo de aluguel com uma gata e uma cadelinha, ia empurrando as coisas com a barriga (literalmente). Desempregado e acima do peso, gostava mesmo era de comer, jogar video game e conversar com friends pelo cell phone. A cadelinha era sua melhor companhia. de vez em quando gritava com ela, tocava-a de onde estava, mas ela logo voltava feliz lhe abanando o rabo. Já a gata não. Olhava-o com altivez, as vezes se roçava em suas pernas, recebia seu carinho e até dormia com ele, mas se irritada, arranhava-lhe sem dó e de repente. Benê tinha vários arranhões, mas amava aquela gata sem bem saber por que. De vez em quando ela dava um sumiço, mas sempre também voltava, com parcimônia. Estava sempre pronta para partir. 
Benê comia porcarias, e comida boa em quantidades rinocerônticas, mas gostaria de mudar se não fosse essa imensa, intensa e incontrolável fome que sentia. A comida era a única fonte e prazer que enxergava, rápida e concreta. Um dia pas…