Pular para o conteúdo principal

yesterday

ontem eu tinha escrito aki, mas nao consegui postar...problemas de internet. Mas salvei, segue texto abaixo:

Minha vida é a monografia (está saindo!) e nao tenho mais diversão. Nao ligo de me sacrificar pelas coisas nao. Como agora, q entrei na comissão de formatura, mas atrasei um pagamento pela prmeira vez e ai tudo parou, aí eu me perguntei: continuar ou não continuar? Mas eu quero continuar, quero ir até o fim. Estou arrecadando dinheiro daki e dali e, quem sabe, consigo o suficiente. vendedno, ao menos tentando vender, as rifas. Fikei com muita raiva dos meu pai, meio sem noção. Mas passou, deixa. escrevi novo email para meu irmão.

Quando vc está com raiva, muito pê da vida mesmo, parece que as pessoas estão calmas e felizes e sempre te dizem: vai dar tudo certo! caraca, isso me deixa mais irada ainda, pq n é um demonstração de que não tem a menor noção de pelo que estou passando! empatia nao existe!

Continuo muito preocupada, tensa, mas a raiva passou, graças a Deus, é sempre um sentimento ruim, principalmente pq me deixa revoltadissima. Hoje tem Nico Loco. Nunca fui e nunca me interessei em ir, mas ate que dessa vez eu acho que iria neh, ultimo semestre de graduação... mas minha situação está realmente feia, realmente mesmo. Fui num brecho e deixei lá duas peças de roupa minha pra vender. Fiz uma prova hj la no REC, espero ter conseguido a pontuação necessária, a diretora la perguntou se eu tinha interesse em ser tutora, claro que tenho! Eles estão querendo professor para o próximo semestre. No Ágora já conseguiram um, perdi a vaga... sniff, sniff. No celin pedi para adiantarem meu pagamento, vamos ver o que dá. Essa eterna falta de grana me irrita, me entristece, e por ela mesmo é que eu tenho q ir em frente. Tenho. Questão de honra.

Vou em frente na comissão. Vou em frente na vida. Falando em vida... nao posso sequer me dar ao luxo em pensar no meu pobre remendo de coração...problemas dessa área continuam os mesmos: gosto de quem não me quer, quem me quis decepcionei, quem parece me querer, some, e por ai vai... tem que rir né? até consigo, mas aki sozinha, é difícil. estou feliz pq sei que vou conseguir fazer a monografia. Sei que vou me formar. O que vier depois, é depois. Não devo ficar pensando nisso, mas penso né rsrs...

Hoje dei aula no cursinho e pela primeira vez estressei, tive vontade de engrossar, mas nunca faço isso e não sei como fazer. Muita conversa durante minha aula. As senhorinhas que ficam lá na coordenação do cursinho pediram  que eu cobrisse o horário da professora que nao apareceu, e eu fikei com eles até as 20h. Teve aluno que simplesmente foi embora quando eu reentrei na sala. Paciência. E os que ficaram tavam conversando até nao poder mais. Ufa, cansa, viu! e olha q eu nem sou professora mesmo, to com uma turma aki, outra ali, num é que nem na escola, uma aula atrás da outra. Professor sofre!

Ah, na prova do REC eu senti que não tinha vocabulário nenhum! Não sabia o significado de um montão de palavras e fui chutando! que merda de inglês eu tenho! pelo menos foi o que senti na hora...preciso estudar ainda mais a língua. E preciso mesmo. recebi o pagamento pelas aulas de redação (money!!) e depositei na minha conta CEF. Mandei email pro meu irmao pedindo q ele, meu pai e minha irmã me mandassem uma ajudinha pra pagar minha dividazinha... e ainda aproveitei pra oferecer a rifa pro guardinha do banco. E ele disse que vai comprar, pra eu voltar segunda!! haha! já ajuda.

Tô aki agora lendo e mexendo na mono. Ainda tenho q preparar prova para os alunos do Celin, mas não hoje, não vou aguentar. Vou voltar ao texto. Boa noite, bye.

foi isso q escrevi. . sonhei com IR, assim como ele disse que tinha sonhado comigo. Também o vi ontem, mas nao tive coragem de falar com ele, acho que nao me viu, ou entao me ignorou...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

H. Pylori

A partir de hoje, se a grana deixar, minha dieta será essa aqui. Descobri, indo hoje ao médico, que tenho uma bactéria no estômago, na verdade uma bactéria comum que muita gente tem, mas que pode ou não se manifestar pro mal. É claro que no meu caso ela fez questão de ser do mal e se manifestar. Eu já tinha cortado bebidas alcoólicas, café e refrigerante, agora só falta remover o estômago mesmo. Sim, porque comer só frutas (não cítricas), legumes e vegetais sempre refogados, lembrar que isso ou aquilo tem gordura ou ataca o estômago, bom, é coisa de nutricionista, ou de gente antenada demais no que come. Cortar frituras também, que são superiormente mais saborosas que coisas cozidas, mas tudo bem. E pensar que tem gente se acabando no torresmo com cachaça sem nada lhes acontecer... Mais um capítulo da injustiça do universo contra mim. A vida sem sabor.
Duzentos mil atrasos hoje e o preço do remédio pra matar a bactéria me fizeram chorar de raiva e tristeza. Pergunto, como sempre, por…

A solidão do professor

Pouco se fala sobre um sentimento que por certo atinge o professor: a solidão. Fala-se em valorizar o profissional, em melhorar salários, em aperfeiçoar a formação, capacitar sempre mais. Não se lembra que é uma profissão que precisa de cuidado psicológico. Você briga com e contra os alunos muitas vezes. Você tenta abrir suas mentes para o novo, o velho, fazer as conexões, entender, aprender. E tem hora que parece que a gente desiste. Que quando vem um comentário altamente crítico ao seu fazer, desmoronamos. Poxa, tanto esforço pra nada!? A falta de retorno positivo, de um elogio, um abono, uma promoção é deprimente. Desgastante. Falta retorno do aluno também. Pelas provas, nada sabemos. Não conseguimos tampouco estabelecer uma relação ais próxima com cada aluno. Nenhum deles vem e diz, "nossa professor, aprendi tanto na aula de hoje!" (pode ser que algum faça, na faculdade talvez). A gente tem que advinhar as dúvidas, o que poderia ser mais dificil ou não, e segue o ritmo …

Inutilidade pública - a história de Benê

O que é ser (in)útil?


Benê se sentia inútil. Vivendo de aluguel com uma gata e uma cadelinha, ia empurrando as coisas com a barriga (literalmente). Desempregado e acima do peso, gostava mesmo era de comer, jogar video game e conversar com friends pelo cell phone. A cadelinha era sua melhor companhia. de vez em quando gritava com ela, tocava-a de onde estava, mas ela logo voltava feliz lhe abanando o rabo. Já a gata não. Olhava-o com altivez, as vezes se roçava em suas pernas, recebia seu carinho e até dormia com ele, mas se irritada, arranhava-lhe sem dó e de repente. Benê tinha vários arranhões, mas amava aquela gata sem bem saber por que. De vez em quando ela dava um sumiço, mas sempre também voltava, com parcimônia. Estava sempre pronta para partir. 
Benê comia porcarias, e comida boa em quantidades rinocerônticas, mas gostaria de mudar se não fosse essa imensa, intensa e incontrolável fome que sentia. A comida era a única fonte e prazer que enxergava, rápida e concreta. Um dia pas…