Pular para o conteúdo principal

Tears for Fears

"I want to be with you alone
and talk about the weather..."
(Tears for Fears - "Head over Heels")

A medo é uma arma, um alerta; sem ele nos meteriamos em imensas encrencas. Tbm temos a dor como mecanismo de defesa. O ser humano gosta de saber de tudo e ter controle das coisas, ou, ao menos, gosta de ter a ilusão de que tem controle das coisas. Sobretudo controle upon the feelings. Tive um affair que confessou-me seu medo. Não precisaria; havia me avisado sobre nada de envolvimentos desde o início...já chorei muito por isso, mas agora tenho vontade de rir! Dío, medo de sentir? não é pra rir? Medo de sentir dor, ok; medo de sentir culpa, remorso, arrependimento, ok; medo de amar? Ficar com alguém que não se ama, por quem não se está apaixonado por medo da perda de controle dos sentimentos? não é ridículo? mecanismos masculinos, imaturos. Não, não, certos homens (senão todos!!) são sempre crianças... mas as crianças geralmente dão a cara a tapa, homens não. Ajem mesmo por instinto. Animais? não...os animais SÓ  tem o recurso od instinto, não tem escolha. Homens, humanos, apenas isso, homens.Os do sexo masculino mesmo, não metaforicamente homens abrangendo a raça humana. Soam ainda mais ridpiculos se se envergonham ante nossas críticas e tentam se explicar: embananam tudo mais ainda!

Sinceramente, estou com vontade de rir muito, mon Dieu, como pode?? pior é q a gente é muito ingênua e tende a cair nisso muitas e muitas vezes ao longo da vida. retiro o que disse: não somos ingênuas, somos gênias! Somos abertas, sem medo de sentir, de expressar-nos, de nos dar ao amor. Casar com alguém por quem não se esteja apaixonada? Impossible!! E as vezes nos dispomos a insistir, pensamos, tadinho, eu compreendo, tenho certeza ue posso ajudá-lo e ele mudará de ideia. Aí fracassamos, e por que? Por causa deles, eles não querem. No começo podemos ter um SENTIMENTO federal de inferioridade, nos sentirmos um lixo, não consegui, ele não me quis...compreenda minha cara, ele é um fraco!! Ele não quis!! Perdeu muito te rejeitando pelo conforto de um amorzinho café com leite, mamão com açúcar, blé!!

Eu tenho pena dos homens, mas ainda assim acredito no amor mútuo, acredito q tem hora que ele é irresistível. E se vc resiste a ele, mais medo e dor pra vc, arrependimento talvez ate o fim de seus dias... já desejei que eles se ferrer, isto é, se ferrem, mas pra q, é de dar dó, só me resta a pena. Quem tem muito não valoriza: muito dinheiro, muito acesso a tudo e a todos, muita liberdade, faz o que quer. Limites são bons...reclamo dos meus, mas de certa forma, como no caso do financeiro, me mantém longe de dsperdício e LUXÚRIA...mimo, muitos homens são mimados: dede crianças tendo tudo o que queriam, todos os desejos satisfeitos. E esses desejo continua, é insaciável, por isso pode se refletir na idade adulta nos gastos excessivos, nos muitos amantes, na vida libertina.

quem sou eu pra dizer qualquer coisa, diriam alguns...eu sou alguém, uma cidadã com um espaço virtual para falar o que lhe der na telha.

Acho que deviamos ficar mais caladas mesmo...parra de questionar tanto, já que, como gênias, sabemos de antemão as respostas. Sim, eu sei, precisamos ouvir, sempre queremos e precisamos ouvir.

Acreditar no amor, sim, sempre. Mas um pézinho atrás não faz mal a ninguém, isto é, não faz mal a nenhuma mulher...rs. bju bye ladies.

Comentários

Sofia de Buteco disse…
já desejei que eles se ferrer, isto é, se ferrem, mas pra q, é de dar dó, só me resta a pena. Quem tem muito não valoriza: muito dinheiro, muito acesso a tudo e a todos, muita liberdade, faz o que quer.

Postagens mais visitadas deste blog

A fase do não

Lídia tem me dito muito não ultimamente. E haja paciência para lidar com isso! Uma mulher que trabalha, tem casa, marido e uma filhinha pequena realmente tem problemas com ser paciente. Tudo que envolve ser uma boa mãe fica ameaçado quando não se pode dedicar-se à criança integralmente. E toda mãe tem, de dois, um dos sonhos: poder dedicar-se integralmente ao seu rebento ou sair para trabalhar sem sentir-se culpada. O primeiro ainda é possível de conseguir para algumas afortunadas; já o segundo... Bem vinda ao mundo da maternidade!

Bom, os nãos da Lídia só não são mais problemáticos porque sua alegria impera e nos contagia. Ainda bem que já estou de "férias" (duas semaninhas de julho) e posso acompanhar melhor a pequena com toda sua cantoria, obra da escolinha e dos videos da galinha pintadinha. Além da galinácea, no menu temos Peppa Pig, O show da Luna, Mundo Disney e por aí vai. Na festa da família na escolinha, a professora bem que tentou fazer os pequenos falarem os ver…

Personas

O top virou peça de dormir. O shortinho de academia, bem, uso em casa mesmo. A disposição pra levantar de manhã cedo e ir caminhar depois de colocar a filhotinha na van se foi, preciso dormir mais, obra do cansaço. Qualquer roupa tá bom. Me arrumar? Quando dá. Se der, deu, se não der, paciência.

Em pleno dia do rock, o dia foi pauleira mesmo. Muita prova de recuperação, aluno enchendo por causa de pontos, ter que manter a todo custo o aluno em sala de aula fazendo alguma coisa, ufs! Conselho de classe e entrega de notas foram pra agosto, thanks God! Mas o dia deixou suas marcas. Uma forte dor de cabeça me tomou desde cedo, tomei um remédio - sim, automediquei-me - e passou, mas me deixou um tanto ligada o comprimido marrom que contém cafeína.

Não tenho tempo para mim, mas tento. Estou fazendo um curso online de musicoterapia e a música é minha melhor terapia. canto mal, mas espanta mesmo os males! Não é fácil conciliar todas as personas: mulher, mãe, professora, esposa, dona de casa,…

Primeira postagem 2016

Nem me dei conta de que hoje foi sábado. Os dias aqui, para mim, passam como se fosse uma coisa só: todo dia, "nada" pra fazer - ócio criativo, talvez, apesar de que não tenho criado nada. Mas tenho visto e lido de um tudo: muitos filmes (Império, Transcendence, Mad Max, etc) e alguns livros (Conto de Natal, de Charles Dickens e sobretudo a Bíblia). Ganhei a Bíblia da Mulher e tenho me alimentado bem dela.
esqueci de pegar foto no face
Viajar pra casa dos pais é voltar ao passado infantil. É bom e mau ao mesmo tempo, nos deparamos sempre com algumas mágoas, algumas falhas, alguns concertos. Certas relações a gente não entende porque é do outro; briga, chora, grita, se enraivece e, por fim - maturidade! - aceita e toca o barco.
Tem chovido bem em Sampa. Hoje a água caiu mesmo. Minha mãe e irmã viajaram pra Goiás. E eu cá estou com a minha moreninha, esperando a boa vontade do governo estadual pra voltar pra Bh. Na verdade faremos uma ponte Viçosa-BH. É bom viajar a sós, só co…