Pular para o conteúdo principal

Eletronicidades e Clarice

hm, desanimei. Eu voltei hoje pra Viçosa querendo ficar em sampa. Tive uma sensação estranha e agora estou me sentindo extremamente só, largada às traças mesmo, e os moskitinhos do calor me fazem uma incômoda companhia...

em vez de - ou ao invés de - dormir o dia todo, fui à rua resolver umas coisas: ajustar meu vestido da formatura, etc etc... nao vi ninguem...agora to aki comendo meu macarrão mais ou menos, ouvindo musica eletronica...colhi algumas na minha recente estadia em sampa. Ir lá é sempre produtivio em termos musicais, e tbm em termos cinematográficos, porque fui ao cinema com minha mãe e assistimos as cronicas de Nárnia, príncipe Caspian. Assitimos a versão 3D, minha mãe tava querendo não, ficou com medo, mas cedeu e adorou. este segundo filme das crônicas é tão bom quanto o primeiro, nao perde em nada, como as vezes acontece com sequencias.

acho que nao devo falar mais deles por aki, mesmo porque nem tem... bom, nao vou entrar nessa parte. Na verdade, teria muito a dizer, fikei sabendo de coisinhas aki e ali... descobri que eu sou uma dor de cabeça, por exemplo. É, eu podia ter dormido sem essa... podia ter dormido sem saber que eu realmente nao tenho a menor significãncia pra certos "eles". Eu queria mesmo saber por que ainda, e ainda e de novo e ainda sofro com isso... é como escreveu Clarice, "Se eu nunca revelar a minha carência, ninguém se assustará comigo ... Mas se souberem, assustam-se, nós que guardamos o grito em segredo inviolável". Pois é, assustaram-se, Clarice. Eu errei em revelar o irrevelável. Mas nenhuma mulher consegue disfarçar a paixonite aguda quando a sente.

Bom, to de mau humor, eu nao sei, acho que eu tava esperando todo mundo em clima de festa por aki, mas a cidade ta nakela pacatisse de sempre. Ou eu estava esperando a mágica da virada de ano, mas... tudo está do jeito que sempre esteve, tanto lá quanto aqui. E eu tbm. Queria ter mais dinheiro, mais fé, mais amor, mais humor, mais vida... e eu só queria me entender...

A playlist que baixei hj:
 - Neon Trees - "Animal"
 - Neyo - "Beautiful Monster"
 - Bruno Mars - "Just the way you are"
 - Bruno Mars - "Nothin' on you"
 - Owl City - "Fireflies" (lindinha essa)
 - FM feat The Catarats - "Like a G6" (essa é um pancadão eletrônico, pra quem gosta mesmo)
 - Usher feat. Will.I.am - "OMG"
 - Usher feat...? - "DJ got us falling in love again"
 - David Guetta feat Kid cudi - "memories" (muito boa)
 - Paramore - "Airplanes"
 - Kesha - "We r who we r"

Basicamente estas... bju bye.

Comentários

Sofia de Buteco disse…
Esse seu mau humor é saudade da tua mulher...(eu!)
Nathacha disse…
Olá! No momento estou apenas te seguindo, mas prometo voltar e comentar em breve suas postagens!Agradeceria se seguisse o meu blog, assim criamos um vínculo que facilite a divulgação de ambos os blogs! passa lá?
http://medicinepractises.blogspot.com/

Postagens mais visitadas deste blog

H. Pylori

A partir de hoje, se a grana deixar, minha dieta será essa aqui. Descobri, indo hoje ao médico, que tenho uma bactéria no estômago, na verdade uma bactéria comum que muita gente tem, mas que pode ou não se manifestar pro mal. É claro que no meu caso ela fez questão de ser do mal e se manifestar. Eu já tinha cortado bebidas alcoólicas, café e refrigerante, agora só falta remover o estômago mesmo. Sim, porque comer só frutas (não cítricas), legumes e vegetais sempre refogados, lembrar que isso ou aquilo tem gordura ou ataca o estômago, bom, é coisa de nutricionista, ou de gente antenada demais no que come. Cortar frituras também, que são superiormente mais saborosas que coisas cozidas, mas tudo bem. E pensar que tem gente se acabando no torresmo com cachaça sem nada lhes acontecer... Mais um capítulo da injustiça do universo contra mim. A vida sem sabor.
Duzentos mil atrasos hoje e o preço do remédio pra matar a bactéria me fizeram chorar de raiva e tristeza. Pergunto, como sempre, por…

A solidão do professor

Pouco se fala sobre um sentimento que por certo atinge o professor: a solidão. Fala-se em valorizar o profissional, em melhorar salários, em aperfeiçoar a formação, capacitar sempre mais. Não se lembra que é uma profissão que precisa de cuidado psicológico. Você briga com e contra os alunos muitas vezes. Você tenta abrir suas mentes para o novo, o velho, fazer as conexões, entender, aprender. E tem hora que parece que a gente desiste. Que quando vem um comentário altamente crítico ao seu fazer, desmoronamos. Poxa, tanto esforço pra nada!? A falta de retorno positivo, de um elogio, um abono, uma promoção é deprimente. Desgastante. Falta retorno do aluno também. Pelas provas, nada sabemos. Não conseguimos tampouco estabelecer uma relação ais próxima com cada aluno. Nenhum deles vem e diz, "nossa professor, aprendi tanto na aula de hoje!" (pode ser que algum faça, na faculdade talvez). A gente tem que advinhar as dúvidas, o que poderia ser mais dificil ou não, e segue o ritmo …

Inutilidade pública - a história de Benê

O que é ser (in)útil?


Benê se sentia inútil. Vivendo de aluguel com uma gata e uma cadelinha, ia empurrando as coisas com a barriga (literalmente). Desempregado e acima do peso, gostava mesmo era de comer, jogar video game e conversar com friends pelo cell phone. A cadelinha era sua melhor companhia. de vez em quando gritava com ela, tocava-a de onde estava, mas ela logo voltava feliz lhe abanando o rabo. Já a gata não. Olhava-o com altivez, as vezes se roçava em suas pernas, recebia seu carinho e até dormia com ele, mas se irritada, arranhava-lhe sem dó e de repente. Benê tinha vários arranhões, mas amava aquela gata sem bem saber por que. De vez em quando ela dava um sumiço, mas sempre também voltava, com parcimônia. Estava sempre pronta para partir. 
Benê comia porcarias, e comida boa em quantidades rinocerônticas, mas gostaria de mudar se não fosse essa imensa, intensa e incontrolável fome que sentia. A comida era a única fonte e prazer que enxergava, rápida e concreta. Um dia pas…