Pular para o conteúdo principal

Não ter


Não ter, não ter
Um perfume que não se esquece
Não ter
O ruido do seu sorriso
Não ter
Essa hora tão mágica
Não ter
O carinho que eu preciso
Não ter
O seu ritmo sempre doce
Não ter
Seu amor pra onde quer que eu fosse
Não ter
Minha vida é viver de você...
Sandy e Júnior - Não ter

O fim de semana foi bom, só. Respeito, ponto. Escrevi o seguinte texto outro dia, e ele bem que podia deslizar  pra internet automaticamente né, mesmo quando a gnete não tem internet. Não ter; tem uma música de Sandy e Júnior que dizia isso, não ter, não ter o su ritmo sempre doce, não ter seu amor pra onde quer que eu fosse... acordei com essa música na cabeça outro dia, deve ser poruqe não tenho muita coisa. O texto:

Devo pensar mais ou menos assim: preciso do estímulo externo, logo, esse estímulo é o correto. Então, os outros estão certos, eu não. Estão certos a meu respeito, eu não. Não sei como sou de verdade. Olá, sou a mentira, vivo-a. os outros sabem o que me é melhor, então, devo seguir os conselhos quando dizem que devo mudar, que devo deixar o cabelo crescer, usar decote, ser sensual... mas o pastor, a igreja também é o estímulo externo. Logo, também estão certos, mais certos ainda porque conhecem a verdade. Que verdade? A verdade que Deus criou tudo e todos, veio o pecado, separou-nos de Deus e aí ficamos nessa luta pelo certo contra o errado para que voltemos pra Deus e possamos desfrutar da vida eterna ao lado dele, no céu, que não é um lugar onde ficaremos sentados e entediados numa nuvem, pelo contrário, é o lugar do pleno contentamento, palavra que tem preenchido minha mente nos últimos dias.


Certo, errado, verdade, mentira... homem, mulher, interno e externo. Nunca senti a luta do espírito contra a carne tão forte no meu ser. Parece loucura negar a si mesmo, mas foi o que Ele mandou, por uma causa maior, a salvação, a vida eterna, a volta ao paraíso. Sem os sacrifícios dos nossos desejos e sem fé não veremos a Deus.

Meu pensamento de novo: peco, deslizo, caio nas tentações dos meus desejos. Logo, não herdarei a vida eterna. Caio em mim, tomo consciência, preciso. Logo, tenho ainda esperanças. Peço perdão, mas sem arrependimento verdadeiro. Luto contra mim mesma dia e noite. Padeço. Amo a pessoa e na hora erradas. Desprezo a sabedoria. Tenho uma sede insaciável dEle na minha vida, de Deus. Sede igualmente insaciável de amor, homem-mulher. Amor que nunca me chega. Quando é que esse negócio vai começar a dar certo pra mim?

Esse negócio de servir-a-Deus-sendo-feliz-no-amor-e-sem-vontade-de-cair-no-mundo, pergunto. Amém.

that's all, folks.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

H. Pylori

A partir de hoje, se a grana deixar, minha dieta será essa aqui. Descobri, indo hoje ao médico, que tenho uma bactéria no estômago, na verdade uma bactéria comum que muita gente tem, mas que pode ou não se manifestar pro mal. É claro que no meu caso ela fez questão de ser do mal e se manifestar. Eu já tinha cortado bebidas alcoólicas, café e refrigerante, agora só falta remover o estômago mesmo. Sim, porque comer só frutas (não cítricas), legumes e vegetais sempre refogados, lembrar que isso ou aquilo tem gordura ou ataca o estômago, bom, é coisa de nutricionista, ou de gente antenada demais no que come. Cortar frituras também, que são superiormente mais saborosas que coisas cozidas, mas tudo bem. E pensar que tem gente se acabando no torresmo com cachaça sem nada lhes acontecer... Mais um capítulo da injustiça do universo contra mim. A vida sem sabor.
Duzentos mil atrasos hoje e o preço do remédio pra matar a bactéria me fizeram chorar de raiva e tristeza. Pergunto, como sempre, por…

Inutilidade pública - a história de Benê

O que é ser (in)útil?


Benê se sentia inútil. Vivendo de aluguel com uma gata e uma cadelinha, ia empurrando as coisas com a barriga (literalmente). Desempregado e acima do peso, gostava mesmo era de comer, jogar video game e conversar com friends pelo cell phone. A cadelinha era sua melhor companhia. de vez em quando gritava com ela, tocava-a de onde estava, mas ela logo voltava feliz lhe abanando o rabo. Já a gata não. Olhava-o com altivez, as vezes se roçava em suas pernas, recebia seu carinho e até dormia com ele, mas se irritada, arranhava-lhe sem dó e de repente. Benê tinha vários arranhões, mas amava aquela gata sem bem saber por que. De vez em quando ela dava um sumiço, mas sempre também voltava, com parcimônia. Estava sempre pronta para partir. 
Benê comia porcarias, e comida boa em quantidades rinocerônticas, mas gostaria de mudar se não fosse essa imensa, intensa e incontrolável fome que sentia. A comida era a única fonte e prazer que enxergava, rápida e concreta. Um dia pas…

Homens marinheiros

Marinheiro - Adriana Calcanhotto



O meu amor me deixou
levou minha identidade
não sei mais bem onde estou
nem onde há realidade

Ah, se eu fosse marinheiro
era eu quem tinha partido
mas meu coração ligeiro
não se teria partido

ou se partisse colava
com cola de maresia
eu amava e desamava
surpreso e com poesia

ah se eu fosse marinheiro
seria doce meu lar
não só o Rio de Janeiro
a imensidão e o mar

leste oeste norte sul
onde o homem se situa
quando o sol sobre o azul
ou quando no mar a lua

não buscaria conforto
nem juntaria dinheiro
um amor em cada porto

Ah se eu fosse marinheiro..
não pensaria em dinheiro
um amor em cada porto..
Ah se eu fosse marinheiro..

O meu amor me deixou,
levou minha identidade
nao sei mais bem onde estou
nem onde ha realidade

Ah, se eu fosse marinheiro
era eu quem tinha partido
mas meu coração ligeiro
nao se teria partido
ou se partisse colava
com cola de maresia

Homens são marinheiros, trabalhadores de um dia que vêm ,aportam, conquistam, usam, amam por uma noite e se vão…