Pular para o conteúdo principal

A mulher de trinta - parte I


Dizem que o ano em que se completa 30 anos, para uma mulher, é um período de muitas mudanças, transformações. Pois bem, este é meu ano e assim está sendo. 

A primeira mudança foi ter um namorado. Sim, eu nunca soube o que tal coisa significava até setembro do ano passado. Coincidiu com a época em que tomei uma decisão bem radical de parar de gandaiar e voltar de vez pra igreja. logo em seguida, Bruno apareceu e por isso muita gente deve achar que foi por causa dele que parei, mas não foi. Acho que meu ano Balzaquiano começou naquele setembro. Passei uns 5 anos da vida correndo atrás das pessoas que nunca puderam me dar o que tenho agora: amor e estabilidade emocional. Nesse ínterim, sofri muito, amei sim, de verdade, mas sempre na hora errada. Creio que não eram pessoas tão erradas assim, mas não eram pra mim. Erraram muito comigo e eu com eles nessa busca insaciável de amar. me entreguei as prazeres puramente corporais, e foi só o que consegui. Estou ainda no processo de aceitar isso, mas indo bem. O processo de autoconhecimento é como uma análise da vida quando se tem uns 80 anos, você se lamenta pelo que fez e o que não fez, chora ainda por dores do passado, mas sabe que tudo foi necessário para que você estivesse onde está agora, exatamente nesse minuto. E o destino não é aleatório. 

No início estávamos bem, empolgados, apaixonados até, os dois no mesmo processo de se firmar na igreja, mas cometendo os deslizes de sempre, do tipo dormir juntos com frequência. Várias vezes. Com culpa. Terminamos até por causa de diferenças no pensar, no agir, no falar, nos planos. Terminamos por um dia porque não aguentei e fui atrás. Já aprendi que não sei viver sozinha e, nem que fosse por uma noite, precisava estar com alguém, por isso tantos ficantes tive. Voltamos. Brigamos muito, apontamos defeitos catastróficos um no outro, nos acusamos e ferimos. Até que resolvemos dar um jeito e ficar mais amigos e menos amantes. Depois de cerca de 4 meses levando um "namoro santo", vem a segunda mudança...

Há algum tempo já eu tomava pílula. Comecei, de verdade, para controlar a menstruação excessiva e dolorosa e ajudava também na função principal de controle de natalidade. Em fevereiro desse ano, não pude comprar a cartela do mês e, como estávamos "santos", não liguei muito, esperaria a próxima menstruação para recomeçar a tomar. Março veio e nada. Pensei, "deve vir no início de abril" ... nada. Maio, neca. Ainda em abril, fiz uma endoscopia depois de três crises de dores estomacais fortíssimas. Resultado: gastrite e bactéria a ser tratada no estômago. Omeprazol ad eternum. Por cerca de um mês tive enjoos, agora imagino que não por causa da endoscopia, como pensei na época. Junho chega e a falta de menstruação começou a me preocupar cada vez mais. Resolvi madrugar pra marcar ginecologista e valeu a pena, apesar do susto: estou grávida. 

Foi meio assim: Entrei no consultório e falei da suspeita de gravidez - claro que pensei nisso - perguntei se tinha como fazer o teste, a médica disse que sim, mas pediu pra me examinar primeiro. Ok, exames de rotina, aquela coisa constrangedora, mas tudo bem, normal. Bom, ao tocar meu útero, ela teve certeza: "É, voc~e está grávida mesmo!". Levantei a cabeça e só disse: "Sério??" e danei a chorar. "Vamos ver se dá pra ouvir o coração do bebê" a médica disse já colocando um aparelho sonoro na minha barriga. Uns ruídos estranhos vieram dele e batidinhas de coração logo apareceram: "é o coração do bebê" ela disse. Eu chorava, tentando me controlar. Ela mandou eu me vestir, chorei um bocado lá no banheiro, acho que susto mesmo, medo, tudo. Conversamos, ela pediu vários exames, voltarei no próximo mês. Saí de lá chorando pela rua, com vergonha, com medo, com ...tudo. Sabia que Bruno estava em aula e mandei a mensagem: "Tô grávida =/" com carinha e tudo. 

Ainda tá caindo a ficha, mas tem a segunda parte em outro post, porque o sono tá demais. Boa noite!

Comentários

Sofia de Buteco disse…
Estou acompanhando empolgadíssima!!!
Nancie Flor disse…
Dorme e conta logo o resto! Tu me mata de curiosidade! rs
R.B. disse…
já saiu a segunda parte, e vao vir muitas ainda! :)

Postagens mais visitadas deste blog

A fase do não

Lídia tem me dito muito não ultimamente. E haja paciência para lidar com isso! Uma mulher que trabalha, tem casa, marido e uma filhinha pequena realmente tem problemas com ser paciente. Tudo que envolve ser uma boa mãe fica ameaçado quando não se pode dedicar-se à criança integralmente. E toda mãe tem, de dois, um dos sonhos: poder dedicar-se integralmente ao seu rebento ou sair para trabalhar sem sentir-se culpada. O primeiro ainda é possível de conseguir para algumas afortunadas; já o segundo... Bem vinda ao mundo da maternidade!

Bom, os nãos da Lídia só não são mais problemáticos porque sua alegria impera e nos contagia. Ainda bem que já estou de "férias" (duas semaninhas de julho) e posso acompanhar melhor a pequena com toda sua cantoria, obra da escolinha e dos videos da galinha pintadinha. Além da galinácea, no menu temos Peppa Pig, O show da Luna, Mundo Disney e por aí vai. Na festa da família na escolinha, a professora bem que tentou fazer os pequenos falarem os ver…

Personas

O top virou peça de dormir. O shortinho de academia, bem, uso em casa mesmo. A disposição pra levantar de manhã cedo e ir caminhar depois de colocar a filhotinha na van se foi, preciso dormir mais, obra do cansaço. Qualquer roupa tá bom. Me arrumar? Quando dá. Se der, deu, se não der, paciência.

Em pleno dia do rock, o dia foi pauleira mesmo. Muita prova de recuperação, aluno enchendo por causa de pontos, ter que manter a todo custo o aluno em sala de aula fazendo alguma coisa, ufs! Conselho de classe e entrega de notas foram pra agosto, thanks God! Mas o dia deixou suas marcas. Uma forte dor de cabeça me tomou desde cedo, tomei um remédio - sim, automediquei-me - e passou, mas me deixou um tanto ligada o comprimido marrom que contém cafeína.

Não tenho tempo para mim, mas tento. Estou fazendo um curso online de musicoterapia e a música é minha melhor terapia. canto mal, mas espanta mesmo os males! Não é fácil conciliar todas as personas: mulher, mãe, professora, esposa, dona de casa,…

Primeira postagem 2016

Nem me dei conta de que hoje foi sábado. Os dias aqui, para mim, passam como se fosse uma coisa só: todo dia, "nada" pra fazer - ócio criativo, talvez, apesar de que não tenho criado nada. Mas tenho visto e lido de um tudo: muitos filmes (Império, Transcendence, Mad Max, etc) e alguns livros (Conto de Natal, de Charles Dickens e sobretudo a Bíblia). Ganhei a Bíblia da Mulher e tenho me alimentado bem dela.
esqueci de pegar foto no face
Viajar pra casa dos pais é voltar ao passado infantil. É bom e mau ao mesmo tempo, nos deparamos sempre com algumas mágoas, algumas falhas, alguns concertos. Certas relações a gente não entende porque é do outro; briga, chora, grita, se enraivece e, por fim - maturidade! - aceita e toca o barco.
Tem chovido bem em Sampa. Hoje a água caiu mesmo. Minha mãe e irmã viajaram pra Goiás. E eu cá estou com a minha moreninha, esperando a boa vontade do governo estadual pra voltar pra Bh. Na verdade faremos uma ponte Viçosa-BH. É bom viajar a sós, só co…