Pular para o conteúdo principal

Minha gata-menina


Calma, ainda não sei o sexo do meu filho; falo do meu bebê primeiro, Calabresa. Ela está aqui ao lado, sempre me olhando, acompanhando meus movimentos e os do cursor na tela. deita a cabecinha no teclado e fica com as orelhinhas em pé, olhos grandes na tela. Encontrei Calabresa há 1 ano e três meses, estava pequenina e miava incessantemente na rua, num prédio aqui da frente. Não aguentei, levantei da cama tarde já da noite e fui na rua. Me deparei com aquela coisinha branca miando. Chamei-a, peguei-a e trouxe pra casa. daqui ela nunca mais saiu, exceto uma vez, que sumiu uma semana e voltou com um grande inchaço na perna, do qual se recuperou, mas a perninha ficou torta. Era uma coisinha medrosa: tinha, e ainda tem, medo de altura, assusta-se quando chegamos perto, não gosta que a peguemos no colo. Só come ração fresquinha, de preferência whyskas e com a vasilhinha cheia. Já tentei me livrar dela: teve cinco filhotinhos, sendo 4 branquinhos feito ela e um rajadinho feito um tigre. Todos doados. Calabresa ficou meio perdida, solitária, mas logo voltou a ser a minha gatinha, correndo pra lá e pra cá. Minha menina, não vivo mais sem. Não creio que ela vá me prejudicar, mas mantenho certa distância. Só não quero mais mandá-la embora, seria como se livrar de um filho...
Em relação ao meu baby, nada de mais. tenho sentido mais fome, mais sono, tudo dentro de um limite aceitável, creio. Ainda não o sinto, mas andei lendo, nada de anormal. Dia 7 vou a BH para o concurso. Tenho estudado, não tanto quanto gostaria, mas estou me esforçando. Mais de cem pessoas para cada vaga - são 4!! Seja feita a vontade de Deus.
Sentimental eu sou... acho que estou mais sentimental também. Ainda lembro do passado, com uma nova visão, claro. Não tem mais tanta importância. Tem certos acontecimentos que fazem a gente virar a página, ainda que à força e ainda que as cicatrizes estejam lá, eternamente. Querendo Deus, tudo dará certo; é dele a palavra final. 
Minha gata-menina, meu baby, minha própria família. É estranho ainda, mas já imagino uma criança me chamando de mãe.  

Bye. 

Comentários

Eilan disse…
Você tem uma gatinha? Owww que fofa. Eu tb tenho... 8! hehehehe. É que quando eu morava na minha casa eu tinha cinco, minha mãe mais duas, eu resgatei mais 3 e doei 2... restaram os oito. Faço este trabalho de ajudar animais de rua, quando não estava em crise sempre estava fora ajudando um ou outro, agora que mal saio tá mais difícil.

Dicas pra vc que tem uma fêmea:

- Castre-a o quanto antes. Reduz risco de câncer e de outras doenças, e ela sentirá ainda menos vontade de sair. Ao contrário do que muita gente pensa, castrar é um ato de amor e deixa os animais mais calmos. No cio ela não entende porque está assim e não se pode resolver o problema dela. E pra finalizar evita mais animais nas ruas!

- Tente sair da Whiskas. É uma ração com muito sal, apesar de ser amada pelos bichanos. Já ouvi muitos casos de animais com problemas no trato urinário por conta dessa ração. Tente uma similar, Cat Show tem mais ou menos o mesmo preço, ou há algumas opções de rações Premium que pra vc, que tem uma gata só, vale a pena! Ao contrário do que pensamos, não é bom deixar sempre o prato com comida, as rações tem quantidades específicas, por isso que a gente reclama do preço de algumas rações Premium, mas se a gente der como manda o figurino dura como uma comum.

- Quanto a sua gravidez: não se preocupe. A Toxoplasmose só é passada se vc ingerir as fezes do gato e eu tenho certeza que nem desejo de grávida vai desejar isso. Todo o resto que se ouve sobre toxoplasmose é lenda.

Bem... Espero ter ajudado! :)

Bjos! (e li suas respostas agora!)

eilan

borderline-girl.blogspot.com
R.B. disse…
Oi, obrigada pelas dicas, vindo de quem tem 8 gatos ajuda muito! :)

Postagens mais visitadas deste blog

A Cabana

Estreando essa Coluna de quinta, vou falar sobre o filme A Cabana (The Shack). Demorei um bocado para falar sobre o filme, minha vontade quando assisti o filme foi sair dali e correr pra fazer uma resenha linda, elogiando altamente o filme. Porém ponderei e deixei a emoção esfriar. A maioria dos cristãos, os mais estudados, está fazendo duras críticas ao filme. Este vídeo é bem interessante e prova disso. Não discordo dele em muita coisa, porém em algumas coisas discordo e vou explicar o meu ponto de vista. O MEU ponto de vista. Este outro vídeo já fala bem, levando em consideração apenas a mensagem geral do filme: que Deus deseja ter um relacionamento pessoal com cada um de nós. E isso, para nós cristãos, é um fato.

Desde que li o livro e soube do projeto do filme, porque já havia a ideia de transformá-lo em filme, fiquei na expectativa do filme. Confesso que quando leio, não consigo visualizar bem o que está escrito, e um filme me ajuda muito. Aí saiu e qual não foi a surpresa quan…

H. Pylori

A partir de hoje, se a grana deixar, minha dieta será essa aqui. Descobri, indo hoje ao médico, que tenho uma bactéria no estômago, na verdade uma bactéria comum que muita gente tem, mas que pode ou não se manifestar pro mal. É claro que no meu caso ela fez questão de ser do mal e se manifestar. Eu já tinha cortado bebidas alcoólicas, café e refrigerante, agora só falta remover o estômago mesmo. Sim, porque comer só frutas (não cítricas), legumes e vegetais sempre refogados, lembrar que isso ou aquilo tem gordura ou ataca o estômago, bom, é coisa de nutricionista, ou de gente antenada demais no que come. Cortar frituras também, que são superiormente mais saborosas que coisas cozidas, mas tudo bem. E pensar que tem gente se acabando no torresmo com cachaça sem nada lhes acontecer... Mais um capítulo da injustiça do universo contra mim. A vida sem sabor.
Duzentos mil atrasos hoje e o preço do remédio pra matar a bactéria me fizeram chorar de raiva e tristeza. Pergunto, como sempre, por…

Inutilidade pública - a história de Benê

O que é ser (in)útil?


Benê se sentia inútil. Vivendo de aluguel com uma gata e uma cadelinha, ia empurrando as coisas com a barriga (literalmente). Desempregado e acima do peso, gostava mesmo era de comer, jogar video game e conversar com friends pelo cell phone. A cadelinha era sua melhor companhia. de vez em quando gritava com ela, tocava-a de onde estava, mas ela logo voltava feliz lhe abanando o rabo. Já a gata não. Olhava-o com altivez, as vezes se roçava em suas pernas, recebia seu carinho e até dormia com ele, mas se irritada, arranhava-lhe sem dó e de repente. Benê tinha vários arranhões, mas amava aquela gata sem bem saber por que. De vez em quando ela dava um sumiço, mas sempre também voltava, com parcimônia. Estava sempre pronta para partir. 
Benê comia porcarias, e comida boa em quantidades rinocerônticas, mas gostaria de mudar se não fosse essa imensa, intensa e incontrolável fome que sentia. A comida era a única fonte e prazer que enxergava, rápida e concreta. Um dia pas…