Pular para o conteúdo principal

Desabafo - Que país é esse?

Eu sei que vou, vou do jeito que eu sei...



Várias vezes fui a lugares em que tocavam a música Que país é esse? do Legião Urbana, ao que a urbe toda respondia, com fervor: "É a p. do Brasil!". Não gosto disso, eu me calava; não gosto de xingar meu país, porque eu também sou o país e não vou me xingar. Bom, mas diante dos fatos, não posso calar e tenho mesmo me perguntado ultimamente: Que país é esse?

Fernando Collor foi absolvido, os crimes prescreveram, falta de provas; a papelada que chegou de outro país contra o Maluf foi recusada (mas são as provas!!!) e ele está aí, livre, leve e solto (isso já foi há algum tempo); Os Josés Genoíno e Dirceu, se não me engano, cumprem pena domiciliar e inclusive receberam propostas de emprego, sim, PROPOSTAS DE EMPREGO PARA DOIS CONDENADOS!!! Propostas inclusive milionárias, chegando a um salário de R$20.000,00 em rede hoteleira; e por aí vai... cara, que isso???

As pessoas se revoltam, acabam cometendo vandalismo, queimam ônibus, fazem greve e são tratadas como baderneiras; o confronto entre polícia e traficantes mata inocentes (eu tinha escrito aqui outra coisa, mas tal qual a população, tenho medo de sofrer retaliações); homem mata ex, mulher mata ex, homem e madrasta matam filho, estrangeira sofre tentativa de abuso; filha tenta matar a mãe, ...

Enquanto isso, vamos repetindo as musiquinhas da Copa, vamos assistindo a campanha para que tenhamos uma ótima eleição esse ano (hein??!), vamos levando... Não sou contra a copa, absolutamente. Quando começa, tenho aquele mesmo sentimento que atinge a maior parte dos brasileiros, aquela coisa de "Vai Brasil, hexa!", mas sei lá... tem algo de errado em falta dinheiro pra isso, isso e aquilo, mas não para a Copa. A copa é lucrativa, movimenta a economia do país e blá-blá-blá, mas é coisa pra gringo ver né! Não se esconde mais a favela, agora ela virou atração turística, uma aventura (vai viver lá pra ver!). Fico me perguntando porque eu ganho tão pouco, passo tanto sufoco trabalhando com ensino, educação, e os jogadores de futebol, os políticos ganham salários tão bilionários. Jogadores, ok. Políticos, não! Se nós os elegemos, porque não decidimos também o valor dos salários deles? Porque também não julgamos os casos de corrupção? Porque eles têm tantos privilégios ao ser presos? Já ouvi muita gente falando "Ah, também vou ser político!" com a motivação dos altos salários e facilidades. Então é isso, pra eu poder viver bem, vou ter que me tornar político e continuar esse círculo vicioso? Não aceito.

A Copa é o ópio do povo.

Há algo de podre no reino do Brasil.

Onde há fumaça, há fogo.

Segundo o grande sambista Martinho da Vila, o lema do povo brasileiro é :
a) É devagar, é devagar, é devagar, é devagar, devagarinho...
b) Deixa a vida me levar, vida leva eu!
c) Já tive mulheres de todas as cores...
d) Nenhuma das anteriores
e) Todas as anteriores, exceto d

Aí eu olho pra minha filhinha de 5 meses e ela ri, inocente. Em que mundo eu a coloquei, não? É difícil...

(continua...)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Cabana

Estreando essa Coluna de quinta, vou falar sobre o filme A Cabana (The Shack). Demorei um bocado para falar sobre o filme, minha vontade quando assisti o filme foi sair dali e correr pra fazer uma resenha linda, elogiando altamente o filme. Porém ponderei e deixei a emoção esfriar. A maioria dos cristãos, os mais estudados, está fazendo duras críticas ao filme. Este vídeo é bem interessante e prova disso. Não discordo dele em muita coisa, porém em algumas coisas discordo e vou explicar o meu ponto de vista. O MEU ponto de vista. Este outro vídeo já fala bem, levando em consideração apenas a mensagem geral do filme: que Deus deseja ter um relacionamento pessoal com cada um de nós. E isso, para nós cristãos, é um fato.

Desde que li o livro e soube do projeto do filme, porque já havia a ideia de transformá-lo em filme, fiquei na expectativa do filme. Confesso que quando leio, não consigo visualizar bem o que está escrito, e um filme me ajuda muito. Aí saiu e qual não foi a surpresa quan…

H. Pylori

A partir de hoje, se a grana deixar, minha dieta será essa aqui. Descobri, indo hoje ao médico, que tenho uma bactéria no estômago, na verdade uma bactéria comum que muita gente tem, mas que pode ou não se manifestar pro mal. É claro que no meu caso ela fez questão de ser do mal e se manifestar. Eu já tinha cortado bebidas alcoólicas, café e refrigerante, agora só falta remover o estômago mesmo. Sim, porque comer só frutas (não cítricas), legumes e vegetais sempre refogados, lembrar que isso ou aquilo tem gordura ou ataca o estômago, bom, é coisa de nutricionista, ou de gente antenada demais no que come. Cortar frituras também, que são superiormente mais saborosas que coisas cozidas, mas tudo bem. E pensar que tem gente se acabando no torresmo com cachaça sem nada lhes acontecer... Mais um capítulo da injustiça do universo contra mim. A vida sem sabor.
Duzentos mil atrasos hoje e o preço do remédio pra matar a bactéria me fizeram chorar de raiva e tristeza. Pergunto, como sempre, por…

Inutilidade pública - a história de Benê

O que é ser (in)útil?


Benê se sentia inútil. Vivendo de aluguel com uma gata e uma cadelinha, ia empurrando as coisas com a barriga (literalmente). Desempregado e acima do peso, gostava mesmo era de comer, jogar video game e conversar com friends pelo cell phone. A cadelinha era sua melhor companhia. de vez em quando gritava com ela, tocava-a de onde estava, mas ela logo voltava feliz lhe abanando o rabo. Já a gata não. Olhava-o com altivez, as vezes se roçava em suas pernas, recebia seu carinho e até dormia com ele, mas se irritada, arranhava-lhe sem dó e de repente. Benê tinha vários arranhões, mas amava aquela gata sem bem saber por que. De vez em quando ela dava um sumiço, mas sempre também voltava, com parcimônia. Estava sempre pronta para partir. 
Benê comia porcarias, e comida boa em quantidades rinocerônticas, mas gostaria de mudar se não fosse essa imensa, intensa e incontrolável fome que sentia. A comida era a única fonte e prazer que enxergava, rápida e concreta. Um dia pas…