Pular para o conteúdo principal

E depois de um pouco de revolta, vem a revolta egocêntrica: a revolta comigo mesma...depois de considerar prós e contras, de justificar e acusar o causador de minhas dores emocionais, me pego suspirando e digo: por que ainda amo desse jeito? isso passa, menina, vc ainda não aprendeu? não!! passa? não, tem sempre akele resquício, akela coisa q vc sente quando passa pelo predio em que ele trabalha, vai até o quinto andar, para na porta do escritorio e nao se mexe, sem coragem de entrar - ele pode axar que é perseguição - e torce pra que ele apareça, assim de repente, e vc de uma desculpa esfarrapadissima por estar ali, ou não, de repente ele nem pergunta, axa que vc vai ao dentista, pois ja a encontrou uma vez por ali exatamente num consultorio odontológico. Seu dente chega a doer com esse pensamento, vc espera, ele não aparece e vc vai embora. Tipico amor-burro, amor-medo, amor da negação do amor. Ainda tem amor, mas vc decide que não tem, fica racional e manda em vc mesma, mas vez em quando, sente akela coisinha lá no fundo que te consome e deixa as lembranças boas e as lagrimas virem, assim como as memórias do que nunca aconteceu. Ele nunca te amou, apesar de ter dito (estava bebado...). Ele nunca passou um fim de semana inteiro com vc, só no quarto, só a dois. Ele nunca te amou por completo, fisicamente mesmo. Foram pedaços de amor pelo caminho, pela reta da UFV, DCE, quimica...ele nunca vai compreender a grandeza do que você já ofereceu a ele porque ainda é menino, muito menino pra isso. Vocês se encontraram talvez na época errada da vida dele...mas quando for a época certa, você já vai estar velha d+ pra isso, pra ele...


Porque ainda amo desse jeito? é sua pergunta constante...não há resposta...pq é assim, o amor nasce e nunca quer se desgrudar da gente (gente=mulher). Vem com tudo e não tá prosa...e...é mesmo amor? Será que já senti algo que ao menos se aproximasse disso? Como vou saber? São suas outras perguntas constantes...o medo de vê-lo, medo de vê-lo sobretudo em outra companhia, feliz...injustiça pura, dor gigante que você já prevê...no fundo, na sua angustiosa e egoísta dor de cotovelo, você queria q ele também sofresse e não conseguisse ir em frente, não sem você. Mas ele não dá mostras de sofrimento ou qualquer outra coisa...não sente sua falta. Trata você como um dos amigos dele, como um dos amigOs mesmo. Nem aí... e o que te irrita é a segurança que ele tem sobre si mesmo, porque você é um poço de insegurança, nõ sabe pra onde vai, o que faz, quem quer ou não quer...aje ate pior que ele mantendo um aqui, outro ali, pendurados no galho. Ele foi objetivo: quebrou teu galho e disse adeus quase que segundos depois de ter dito que a amava. (lembre-se, ele tava bêbado!!). Mas você acreditou e não acreditou e achou que isso pudesse se tornar amor, o que, antes de acontecer, ele temia e logo saiu fora. Medo. Medroso. Isso é o que ele é, e é o que você já disse a ele, mas ele só afirmou isso, com muito orgulho, orgulho de macho...e que macho! Haha, sim você viaja ainda no corpo dele...a tatuagem, a altura, akele fisico todo, akela pele lindamente branca, pura...sim, essa sua queda pela brancura, pela pele clara...ai você lembra que o outro também tem a pele alva, tao alva...vc ainda tem akela coisa com esse outro também, apesar de ele estar namorando há tempos: ligação. Uma estranha ligação que as vezes nasce entre as pessoas. Mesmo que não sejam amigos ou mal se falem, as vezes tem essa coisa que pode ser chamada de ligação. De tesão talvez...muito tesão por tatoos e caras de mal...vc adora bad boys, o problema é que sua vida é real e bad boys são mals de verdade e não estão nem ai se você sofre mesmo. “Me esqueça!” é o que o comportamento dele te diz. Você diz ter saudades, quer vê-lo...ele só te aponta a foto no msn... “está bom assim” é o que ele te diz com esse comportamento. Você entende. Mas jamais aceitou e nem vai aceitar. Como alguém pode dizer não a algo que estava caminhando bem? Ai você ouve Still da Cher, as 22:51 dessa quarta insana, sim, essa quarta é insana porque você ainda tem o descaramento de pensar nele. Homem algum merece isso, merece nada do que você já ofereceu e deu, em muitos sentidos. Não merece as curvas de seu corpo, seus beijos ardentes, seus lábios no corpo dele, a maciez de sua pele, seu olhar apaixonado, sua entrega desmedida e sem hora, sem repulsa, total, sua abertura....Sua disponibilidade boba e apaixonada, sua entrega, seu sorriso desmedido e descarado ao encontrá-lo ou ao menos ao sentir o cheiro dele, hmmm...o cheiro dele. Homem nenhum merece o que você já ofereceu. O que ele podia pegar, pegou, e pegou mesmo porque você quis, você diz, você quis mesmo, e diz isso no seu orgulho besta feminino. “Eu quis!”. E o que você queria que ele pegasse, seu amor, não...foi descartado. Sim, foi amor, seu amor, foi só seu esse amor. E agora, descaradamente, você vai passar o link pra ele desse blog, de novo. Pra q ele veja o quanto te faz falta. Pra q você alimente o ego dele, que já não tá inchado o bastante, não?

Enquanto por outro lado, uma possibilidade, um amor desponta...e você age feito ele: ignora, não quer...veio com força e rápido demais, tá se envolvendo demais o pobre, não quero...de repente você se dá conta do que tá fazendo e...justifica-o, agora entende...haha tipica mulherzinha de quinta!!

Mas é isso que é ser uma: amar de graça, bobamente, e insistir em sofrer por isso, sem querer largar o osso. E você não larga o osso, não é? Quer se aproximar, quer estar na vida dele de alguma forma...migalhas são melhores do que nada?? estás certa disso? Não...vc não quer as migalhas e por isso prefere nem vê-lo, prefere viver das lembranças boas e incrementá-las com sua imaginação.

“I'll always be your girl...” (You belong to me – Carlye Simon, também cantada por Jennifer Lopez)

E ai você continua ai, fingindo estudar enquanto ele não entra no msn..e de repente ele entra...ai você espera, ate não aguentar mais o silencio dele e falar “oi”. Mas ultimamente você tem aguentado, você tem sido forte...sera q é mesmo amor? Ligação...e pare de chorar suas pitangas então...de repente você se revolta, com razão. Idiota burra q sou!! porque, porque, porque continuo amando??

Comentários

Amanda... disse…
Uh...Rebeca...Vai tomar no **!!

Meninaaaaaaaaaa....que texto é esse.....vc quer me matar? Eu, super deprimida aqui...afffffffffffffff....
(só que no meu caso, é terceiro e não quinto andar; e eu prefiro um negão, apesar de só pegar branquelos; e, ele ele está bem far away from her now....)...por isso que acho que, apesar de tudo, se eu fosse vc, agarrava esse menino na rua e o sequestraa! teria um filho com ele....

Postagens mais visitadas deste blog

H. Pylori

A partir de hoje, se a grana deixar, minha dieta será essa aqui. Descobri, indo hoje ao médico, que tenho uma bactéria no estômago, na verdade uma bactéria comum que muita gente tem, mas que pode ou não se manifestar pro mal. É claro que no meu caso ela fez questão de ser do mal e se manifestar. Eu já tinha cortado bebidas alcoólicas, café e refrigerante, agora só falta remover o estômago mesmo. Sim, porque comer só frutas (não cítricas), legumes e vegetais sempre refogados, lembrar que isso ou aquilo tem gordura ou ataca o estômago, bom, é coisa de nutricionista, ou de gente antenada demais no que come. Cortar frituras também, que são superiormente mais saborosas que coisas cozidas, mas tudo bem. E pensar que tem gente se acabando no torresmo com cachaça sem nada lhes acontecer... Mais um capítulo da injustiça do universo contra mim. A vida sem sabor.
Duzentos mil atrasos hoje e o preço do remédio pra matar a bactéria me fizeram chorar de raiva e tristeza. Pergunto, como sempre, por…

A solidão do professor

Pouco se fala sobre um sentimento que por certo atinge o professor: a solidão. Fala-se em valorizar o profissional, em melhorar salários, em aperfeiçoar a formação, capacitar sempre mais. Não se lembra que é uma profissão que precisa de cuidado psicológico. Você briga com e contra os alunos muitas vezes. Você tenta abrir suas mentes para o novo, o velho, fazer as conexões, entender, aprender. E tem hora que parece que a gente desiste. Que quando vem um comentário altamente crítico ao seu fazer, desmoronamos. Poxa, tanto esforço pra nada!? A falta de retorno positivo, de um elogio, um abono, uma promoção é deprimente. Desgastante. Falta retorno do aluno também. Pelas provas, nada sabemos. Não conseguimos tampouco estabelecer uma relação ais próxima com cada aluno. Nenhum deles vem e diz, "nossa professor, aprendi tanto na aula de hoje!" (pode ser que algum faça, na faculdade talvez). A gente tem que advinhar as dúvidas, o que poderia ser mais dificil ou não, e segue o ritmo …

Inutilidade pública - a história de Benê

O que é ser (in)útil?


Benê se sentia inútil. Vivendo de aluguel com uma gata e uma cadelinha, ia empurrando as coisas com a barriga (literalmente). Desempregado e acima do peso, gostava mesmo era de comer, jogar video game e conversar com friends pelo cell phone. A cadelinha era sua melhor companhia. de vez em quando gritava com ela, tocava-a de onde estava, mas ela logo voltava feliz lhe abanando o rabo. Já a gata não. Olhava-o com altivez, as vezes se roçava em suas pernas, recebia seu carinho e até dormia com ele, mas se irritada, arranhava-lhe sem dó e de repente. Benê tinha vários arranhões, mas amava aquela gata sem bem saber por que. De vez em quando ela dava um sumiço, mas sempre também voltava, com parcimônia. Estava sempre pronta para partir. 
Benê comia porcarias, e comida boa em quantidades rinocerônticas, mas gostaria de mudar se não fosse essa imensa, intensa e incontrolável fome que sentia. A comida era a única fonte e prazer que enxergava, rápida e concreta. Um dia pas…