Pular para o conteúdo principal

SOU FELIZ!

Estudei um bocado hj (isto é, ontem, já passa das 24h). fui à Igreja. E, a essa altura do campeonato, parece que iso não faz muito sentido. Mas eu não posso largar, simplesmente não posso. È o unico lugar em que tudo que é dito é verdadeiro, dentro do parâmetro espiritual. Nada escapa à realidade, não ha duvidas; duvidas temos como bons seres humanos que somos, mas... quando vc realmente entra na esfera divina, não há duvidas: Ele está lá, e com Ele, a solução de tudo.

Fui descendo a reta (como descer uma reta? rs...modo de falar) e pensando que sou feliz, com todos os percalços e prós e contras da vida. Ai eh que esta a felicidade na vida, em viver. Uma vez aki, uma vez que vc dcida viver, vc eh feliz por isso. mas alguem que tenha decidido nao viver, que realmente deseje a morte, não eh feliz pois nao aceita o dom supremo que Ele nos deu, a vida, do qual surge o nome Davi (invenção minha?).

Sou feliz por crer nEle. Sou feliz pq sempre fui uma pessoa extremamente depressiva e emsimesmada, mas agora estou me libertando de certas amarras. As amarras que me colocavam mais perto dEle eu afrouxei, infelizmente. Mas a vida segue, está ai e eu decidi vver, aceitar a dadiva dEle. Apesar de tudoq eu passei, tudo cooperou, de certa forma, para o meu bem. Fiz o que pude e me arrependo sim de muita coisa. Sim, esse texto tem tom de despedida. Talvez seja uma adiantada, pois outras virao, tenho muito a dizer antes de partir, se é que vou partir.

Sou feliz principalmente pq dentro de mim, apesar de tudo que já aprontei, sempre tive Ele no coração, a fé, a biblia, a crença. Creio piamente na Biblia e ela pra mim nao eh um livro como outro qualquer; é passivel de interpretação subjetiva, literariamente falando, mas como cristã, não a questiono, jamais. Sou feliz pq dentro de mim  a essencia divina sobrevive: creio na castidade e morte sacrificial de Cristo, na concepção virginal de Maria, na Biblia Sagrada, na Igreja. Sou feliz pq preservo algo que é como um tesouro em tempos de turbulencia: o silencio, o ouvir a natureza, que equivale a ouvir a Ele. Observar o sol que nasce e a lua q desponta é vê-lO, é saber que Ele está lá, ali, aki comigo.

Sou feliz pq Ele acredita em mim quando digo que nao quero mais beber ou fumar, e nao ri de mim; feliz pq Ele não questiona minhas aões, mas deixa eu ir em frente, quebrar a cara para voltar a Ele e deixar que Ele cuide de mim; feliz pq em noites mal dormidas ou menos dormidas, ou chorosas, Ele está mais perto do que nunca, posso sentí-lO. Feliz porque apesar do pouco que compareço à Igreja, através da Biblia, Ele sempre fala comigo e sua presença é tão perceptível que eu choro, e me envergonho e confesso minha fraqueza...no dia seguinte, estou em alguma bar, mas sei que Ele ta sempre me esperando, me protegendo de tudo, tudo mesmo.

Hoje a palavra foi sobre ingratidão. Muitas vezes fui ingrata com as pessoas, com Ele, tenho certeza. E por isso essa mensagem pra dizer Obrigada, Senhor; pq apesar de tudo (quanto pesar!) ainda és o Senhor da minha vida e de ti jamais desconfiei; és o unico que me entendes plenamente e  atendes sempre as minhas orações; és o unico fiel amigo e verdadeiro, e tem colocado pessoas valiosas em meu caminho, e tbm pessoas com as quais eu não aprendi a lidar, e fracassei no objetivo de levar as pessoas até a ti. Obrigada pq eu sou quem sou e me orgulho, vejo que o que sou é bom, assim como o Senhor na criação, quando ia fazendo tudo e vendo o quanto era bom. O mundo é ainda bom, Senhor, tirando a maldade humana. Obrigada, meu Senhor, por tudo. Amém = assim seja. bye.

Comentários

Amanda... disse…
Rebeca...a maior expressão de Deus em você está no dom que ele te deu: ser espelho de almas quando escreve...

adoro seus textos!

admiro demais o seu talento como escritora, cantora, atriz, blogueira; sua amizade...seu jeito...seu humor...seu exotismo...(ui!). Não deixe isso morrer...a gente se fode mas é feliz e tem saíde pra dar e vender...

Beijos cheios de lugares comuns...
yo!

Postagens mais visitadas deste blog

A solidão do professor

Pouco se fala sobre um sentimento que por certo atinge o professor: a solidão. Fala-se em valorizar o profissional, em melhorar salários, em aperfeiçoar a formação, capacitar sempre mais. Não se lembra que é uma profissão que precisa de cuidado psicológico. Você briga com e contra os alunos muitas vezes. Você tenta abrir suas mentes para o novo, o velho, fazer as conexões, entender, aprender. E tem hora que parece que a gente desiste. Que quando vem um comentário altamente crítico ao seu fazer, desmoronamos. Poxa, tanto esforço pra nada!? A falta de retorno positivo, de um elogio, um abono, uma promoção é deprimente. Desgastante. Falta retorno do aluno também. Pelas provas, nada sabemos. Não conseguimos tampouco estabelecer uma relação ais próxima com cada aluno. Nenhum deles vem e diz, "nossa professor, aprendi tanto na aula de hoje!" (pode ser que algum faça, na faculdade talvez). A gente tem que advinhar as dúvidas, o que poderia ser mais dificil ou não, e segue o ritmo …

H. Pylori

A partir de hoje, se a grana deixar, minha dieta será essa aqui. Descobri, indo hoje ao médico, que tenho uma bactéria no estômago, na verdade uma bactéria comum que muita gente tem, mas que pode ou não se manifestar pro mal. É claro que no meu caso ela fez questão de ser do mal e se manifestar. Eu já tinha cortado bebidas alcoólicas, café e refrigerante, agora só falta remover o estômago mesmo. Sim, porque comer só frutas (não cítricas), legumes e vegetais sempre refogados, lembrar que isso ou aquilo tem gordura ou ataca o estômago, bom, é coisa de nutricionista, ou de gente antenada demais no que come. Cortar frituras também, que são superiormente mais saborosas que coisas cozidas, mas tudo bem. E pensar que tem gente se acabando no torresmo com cachaça sem nada lhes acontecer... Mais um capítulo da injustiça do universo contra mim. A vida sem sabor.
Duzentos mil atrasos hoje e o preço do remédio pra matar a bactéria me fizeram chorar de raiva e tristeza. Pergunto, como sempre, por…

Inutilidade pública - a história de Benê

O que é ser (in)útil?


Benê se sentia inútil. Vivendo de aluguel com uma gata e uma cadelinha, ia empurrando as coisas com a barriga (literalmente). Desempregado e acima do peso, gostava mesmo era de comer, jogar video game e conversar com friends pelo cell phone. A cadelinha era sua melhor companhia. de vez em quando gritava com ela, tocava-a de onde estava, mas ela logo voltava feliz lhe abanando o rabo. Já a gata não. Olhava-o com altivez, as vezes se roçava em suas pernas, recebia seu carinho e até dormia com ele, mas se irritada, arranhava-lhe sem dó e de repente. Benê tinha vários arranhões, mas amava aquela gata sem bem saber por que. De vez em quando ela dava um sumiço, mas sempre também voltava, com parcimônia. Estava sempre pronta para partir. 
Benê comia porcarias, e comida boa em quantidades rinocerônticas, mas gostaria de mudar se não fosse essa imensa, intensa e incontrolável fome que sentia. A comida era a única fonte e prazer que enxergava, rápida e concreta. Um dia pas…