Pular para o conteúdo principal

Inferno astral??

Ontem tive uma noite maravilhosa com a visita inesperada de Odisseu, sempre indo e vindo da nossa Ítaca...e, como era de se esperar, apesar do combinado, ele não me ligou nem apareceu hj. Cada barulho de moto lá fora faz meu cuore palpitar, talvez seja ele. Até agora não foi... e pior que hj, depois que voltei da igreja, estou extremamente sensível. E extremamente carente, extremamente preocupada, extremamente perdida. A monografai? Não sei o que fazer, como fazer, por onde recomeçar...estou reescrevendo as partes corrigidas por minha orientadora....é, não adianta, eu me desespero com tudo, sempre. Estou aos prantos aki, por tudo. Tem sempre hora que eu explodo de ansiedde, me enraiveço contra mim mesma, ai me castigo ficando ate tarde na frente do computador, me obrigando a estudar. Depois vem as lágrimas, como agora. Eu precisava de Odisseu aqui comigo agora pra me confortar. Ontem foi maravilhoso, maravilhoso mesmo, ambos suados e cansados, eu disse que ia tomar um banho, chamei-o, mas ai começamos a nos beijar, enlouquecemos, nos agarramos, fomos pra cama... sentimos maior a necessidade de um banho e fomos para akele box apertado, escondidos. A água quente, nós dois... voltamos logo para o quarto pra continuar tudo a noite toda quase. Ele chegou as 19h e foi embora as 2h. E hj essa ausência tá me torturando até a alma. "Amanhã durmo com vc, amanhã te ligo..."  pq ainda acredito, pq dou corda, pq nao consigo dizer tudo que penso na hora da raiva, pq eskeço de tudo quando ele chega? carência pura...

Ontem, saindo do cursinho de inglês onde agora dou aula, passei na farmácia ainda aberta e comprei dois esmaltes de tonalidade rosa. Minha cor favorita está na moda! pintei as unhas de Armadilha Rosa, edição especial risqué da penélope charmosa...Penélope, tinha que ser. Sou a eterna Penélope, não a charmosa, mas a que sempre espera, apesar de minha ansiedade que me estressa, q irrompe em lágrimas sempre que pode. Minhas unhas...

é, nao reparem minha cara de choro...



sabe quando vc arregala o olho pra nao chorar mais? então...
Eu tava tentando ligar pra ele, mas nao completa a ligação. Quando eu nao to esperando, ele vem. E quando eu espero, ele some. Inferno astral? talvez, mas não acredito nessas coisas...eu queria dar um festão de arromba nesse meu aniversário. Mas não será possível, a naõ ser que alguém faça uma caridade...e mesmo que eu tivesse money, eu nao sberia como fazer, nunca organizei uma festa, não tenho ideia de por onde começar...precisava de um lugar, bebidas, comida (ou não), escolher um dia bom...(meu niver esse ano cai numa quarta, a unica coisa que posso fazer é talvez passar uma noite leonina). falar em leão, C é de leão...Odisseu me perguntou ontem qual meu signo...libra, eu disse. Eu sempre me considerei uma pessoa equilibrada, certinha, melhor...ai vem os dias em que a casa cai, como hj. Deus vem, te manda  uma mensagem do apocalipse, vc olha pra sua vida, que merda. que Ele me perdoe, mas eu precisava muito do meu Odisseu aki hj, agora mesmo. Cheguei até a jogar umas indiretas com C (carência!!!!!) mas obviamente ele me cortou do jeito mais anticavalheiro possivel. E ai aparece meu Odisseu pra me salvar, mas me salva hj, amor, me salva hj!!! me salva com akele seu desejo todo por mim, com sua fome de mim, sua vontade de mim, do meu corpo, da minha boca, da minha...de mim toda pra vc.

Eu me preparei toda hj do jeito que uma mulher se prepara quando sabe que vai "dormir" com um homem. Mas aconteceu a mesma coisa que houve da ultima vez que eu fiz isso: não deu, ele não veio. E quando nao to lá muito preparada, acontece. por que tem que ser assim? Jesus...ai essas lágrimas que não me deixam!
Adorei minhas unhas e estou cheai de nao me tokes com elas. Hj cedo arrumei a casa, varri, passei pano, arrumei um pouco minhas coisas. As meninas foram passar o feriado em suas cidades, obviamente eu nao fui. Tem gente de sampa que vai pra la, mas pra mim é muito gasto de dinheiro pra ficar lá tão pouco tempo. Estou morrendo de saudades do meu sobrinhozinho e da mazinha dele, guti guti, eles devem estar ainda maiorzinhos, saudade d+. Tive muitos sonhos estranhos a noite passada, so me lembro de pedaços deles...

ai ai...as vezes eu quero ascender cada vez mais, as vezes eu queroa ser uma pessoa simples...eu não sei o que quero; sei que preciso sempre me superar, provar-me que posso, deixar toda akela vida dura e limitada de sampa cada vez mais pra trás. Ao mesmo tempo, não posso me esquecer da minha familia. Sou o arrimo da familia, akela que vai se sair melhor, que vai ajudar todo mundo. carrego esse peso nas costas, sinto que devo fazer tudo que não pensava ou nao me achava capaz: mestrado, doutorado, EUA, pós, phd, etc, etc. Tudo que eu puder, tudo. Nao eh mais questão de escolha, é questão de honra, de dever. Nao posso ser a vida toda uma excluida. Eu faço parte da elite brasileira que estuda em universidade. Piada...nunca serei uma deles...e nem quero, só com relação ao financeiro, ai sim, rsrsrs. A colação de grau vai ser minha apoteose. Preciso me formar agora, meu Deus, preciso! Vou voltar a monografia entaõ, bye.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

H. Pylori

A partir de hoje, se a grana deixar, minha dieta será essa aqui. Descobri, indo hoje ao médico, que tenho uma bactéria no estômago, na verdade uma bactéria comum que muita gente tem, mas que pode ou não se manifestar pro mal. É claro que no meu caso ela fez questão de ser do mal e se manifestar. Eu já tinha cortado bebidas alcoólicas, café e refrigerante, agora só falta remover o estômago mesmo. Sim, porque comer só frutas (não cítricas), legumes e vegetais sempre refogados, lembrar que isso ou aquilo tem gordura ou ataca o estômago, bom, é coisa de nutricionista, ou de gente antenada demais no que come. Cortar frituras também, que são superiormente mais saborosas que coisas cozidas, mas tudo bem. E pensar que tem gente se acabando no torresmo com cachaça sem nada lhes acontecer... Mais um capítulo da injustiça do universo contra mim. A vida sem sabor.
Duzentos mil atrasos hoje e o preço do remédio pra matar a bactéria me fizeram chorar de raiva e tristeza. Pergunto, como sempre, por…

A solidão do professor

Pouco se fala sobre um sentimento que por certo atinge o professor: a solidão. Fala-se em valorizar o profissional, em melhorar salários, em aperfeiçoar a formação, capacitar sempre mais. Não se lembra que é uma profissão que precisa de cuidado psicológico. Você briga com e contra os alunos muitas vezes. Você tenta abrir suas mentes para o novo, o velho, fazer as conexões, entender, aprender. E tem hora que parece que a gente desiste. Que quando vem um comentário altamente crítico ao seu fazer, desmoronamos. Poxa, tanto esforço pra nada!? A falta de retorno positivo, de um elogio, um abono, uma promoção é deprimente. Desgastante. Falta retorno do aluno também. Pelas provas, nada sabemos. Não conseguimos tampouco estabelecer uma relação ais próxima com cada aluno. Nenhum deles vem e diz, "nossa professor, aprendi tanto na aula de hoje!" (pode ser que algum faça, na faculdade talvez). A gente tem que advinhar as dúvidas, o que poderia ser mais dificil ou não, e segue o ritmo …

Inutilidade pública - a história de Benê

O que é ser (in)útil?


Benê se sentia inútil. Vivendo de aluguel com uma gata e uma cadelinha, ia empurrando as coisas com a barriga (literalmente). Desempregado e acima do peso, gostava mesmo era de comer, jogar video game e conversar com friends pelo cell phone. A cadelinha era sua melhor companhia. de vez em quando gritava com ela, tocava-a de onde estava, mas ela logo voltava feliz lhe abanando o rabo. Já a gata não. Olhava-o com altivez, as vezes se roçava em suas pernas, recebia seu carinho e até dormia com ele, mas se irritada, arranhava-lhe sem dó e de repente. Benê tinha vários arranhões, mas amava aquela gata sem bem saber por que. De vez em quando ela dava um sumiço, mas sempre também voltava, com parcimônia. Estava sempre pronta para partir. 
Benê comia porcarias, e comida boa em quantidades rinocerônticas, mas gostaria de mudar se não fosse essa imensa, intensa e incontrolável fome que sentia. A comida era a única fonte e prazer que enxergava, rápida e concreta. Um dia pas…