Pular para o conteúdo principal

Doces manhãs frias de novembro

Estou sinceramente viciada nas manhãs frias e cinzentas desse doce novembro que se inicia. E achei a trilha sonora perfeita, que não consigo tirar dos ouvidos. É uma musica que acho que veio de amostra no meu novo notebook - sim, agora eu tenho um notebook novo, presente adiantado do meu tio. A música é de Claude Debussy, tocada por Richard Stoltzman, clarinetista perfeito. Ontem chorei horrores (que expressão mais esquisita) ouvindo essa musica, Maid with the flaxen hair, é linda demais, linda...life is beautiful and brilliant.

Hoje eu pedi pra ele aparecer, mas Odisseu disse que viria tbm. Sim, ainda tem ele...nao menti pra ele: falei q estava com A. E ele disse que nao consegue me dizer adeus...Jesus and what can I do now? mas em se tratando de Odisseu, não tem muito com que se preocupar, já que ele some, nunca parou de verdade em Ítaca, a nossa Ítaca. Senti que ele ficou entristecido...talvez ele pense bem e suma de vez..e talvez pra me ferir tenha dito que antes de vir pra cá akele dia, ele ficou comm uma loira. Havia um fio dourado no boné dele. Não me feriu, já que, como ele mesmo disse, ninguém é dono de ninguém nessa vida. Mas A está se tornando meu dono, inteiramente. E a todo momento eu penso, não, não, não, acorda, ele vai passar no mestrado e vai para a sua terra natal, RJ...que triste. Mas o Rio é o próprio inferno na terra de tão quente. Penso q ele se vai, penso coisas ruins, mas ele eh sempre tão bom comigo, apesar de gostar de ..bem, detalhes não vem ao caso, são coisas de lençóis. Ele é ELE. é homem, lembre-se disso.

outra musica combinante das manhãs frias é Sleep Away, de Bob Acri. Jazz, muito gostosinha de ouvir. Outra musica que acho que veio de amostra no meu note rsrs..meu note é de primeira linha, musica classica, jazz..muito chic. Essas músicas sempre me dizem coisas nesses momentos de tensão em que constantemente vivo. Música instrumental é muito perfeita; é como se fosse a música em sua essência pura...uma boa voz também ajuda, mas não sei, os intrumentos, os sons se bastam. Clarinete é lindo, piano é O instrumento, os pratinhos de bateria ao fundo, só dando o tom... música é parte de mim, parte do ser humano. Enjoy and good november morning. Bye.

Comentários

Sofia de Buteco disse…
esse negócio da loira é verdade???
Rebeca disse…
pelo q ele falou...é sim!

Postagens mais visitadas deste blog

H. Pylori

A partir de hoje, se a grana deixar, minha dieta será essa aqui. Descobri, indo hoje ao médico, que tenho uma bactéria no estômago, na verdade uma bactéria comum que muita gente tem, mas que pode ou não se manifestar pro mal. É claro que no meu caso ela fez questão de ser do mal e se manifestar. Eu já tinha cortado bebidas alcoólicas, café e refrigerante, agora só falta remover o estômago mesmo. Sim, porque comer só frutas (não cítricas), legumes e vegetais sempre refogados, lembrar que isso ou aquilo tem gordura ou ataca o estômago, bom, é coisa de nutricionista, ou de gente antenada demais no que come. Cortar frituras também, que são superiormente mais saborosas que coisas cozidas, mas tudo bem. E pensar que tem gente se acabando no torresmo com cachaça sem nada lhes acontecer... Mais um capítulo da injustiça do universo contra mim. A vida sem sabor.
Duzentos mil atrasos hoje e o preço do remédio pra matar a bactéria me fizeram chorar de raiva e tristeza. Pergunto, como sempre, por…

A solidão do professor

Pouco se fala sobre um sentimento que por certo atinge o professor: a solidão. Fala-se em valorizar o profissional, em melhorar salários, em aperfeiçoar a formação, capacitar sempre mais. Não se lembra que é uma profissão que precisa de cuidado psicológico. Você briga com e contra os alunos muitas vezes. Você tenta abrir suas mentes para o novo, o velho, fazer as conexões, entender, aprender. E tem hora que parece que a gente desiste. Que quando vem um comentário altamente crítico ao seu fazer, desmoronamos. Poxa, tanto esforço pra nada!? A falta de retorno positivo, de um elogio, um abono, uma promoção é deprimente. Desgastante. Falta retorno do aluno também. Pelas provas, nada sabemos. Não conseguimos tampouco estabelecer uma relação ais próxima com cada aluno. Nenhum deles vem e diz, "nossa professor, aprendi tanto na aula de hoje!" (pode ser que algum faça, na faculdade talvez). A gente tem que advinhar as dúvidas, o que poderia ser mais dificil ou não, e segue o ritmo …

Inutilidade pública - a história de Benê

O que é ser (in)útil?


Benê se sentia inútil. Vivendo de aluguel com uma gata e uma cadelinha, ia empurrando as coisas com a barriga (literalmente). Desempregado e acima do peso, gostava mesmo era de comer, jogar video game e conversar com friends pelo cell phone. A cadelinha era sua melhor companhia. de vez em quando gritava com ela, tocava-a de onde estava, mas ela logo voltava feliz lhe abanando o rabo. Já a gata não. Olhava-o com altivez, as vezes se roçava em suas pernas, recebia seu carinho e até dormia com ele, mas se irritada, arranhava-lhe sem dó e de repente. Benê tinha vários arranhões, mas amava aquela gata sem bem saber por que. De vez em quando ela dava um sumiço, mas sempre também voltava, com parcimônia. Estava sempre pronta para partir. 
Benê comia porcarias, e comida boa em quantidades rinocerônticas, mas gostaria de mudar se não fosse essa imensa, intensa e incontrolável fome que sentia. A comida era a única fonte e prazer que enxergava, rápida e concreta. Um dia pas…